Na 10ª edição do UFC no Rio, relembre 10 momentos marcantes do evento na ‘Cidade Maravilhosa’

Nocautes, vitórias espetaculares, despedida e choro. Relembre tudo que aconteceu em todas as edições do UFC no Rio de Janeiro

Relembre 10 momentos marcantes do UFC no Rio. Foto: Montagem SL / MMA Press

O UFC 237, evento que acontece neste sábado (11), marca a 10ª vez que a maior organização de MMA do mundo chega a capital fluminense. Desde a primeira vez, em agosto de 2011, nocautes, finalizações, viradas, disputas de títulos e momentos marcantes entraram para a história do esporte. Para você entrar no clima do show, nossa equipe preparou.

10 – Revanche de Anderson contra Yushin Okami no UFC 134

O ano era 2011, Anderson Silva ainda reinava na divisão dos médios (até 83,9kg.) do Ultimate. Como grande nome da companhia, nada melhor do que realizar uma luta do, então detentor do título, em uma das cidades brasileiras mais conhecidas no mundo. Considerado como imbatível, ‘Spider’ havia sido derrotado pelo japonês Yushin Okami após ser desqualificado por desferir um chute ilegal no adversário em 2006.

Cinco anos depois, já no UFC, a diretoria decidiu conceder a Anderson uma revanche contra Okami naquele que representaria o UFC 134. O duelo representaria a disputa pelo cinturão dos médios. Mais maduro e totalmente seguro de sua capacidade, Anderson, mais uma vez, deu show e conquistou um belo nocaute, no segundo round, levando a torcida ao delírio, e realizando mais uma defesa de título.

9 – Edson Barbosa e o famoso chute rodado

Um dos nocautes mais bonitos da história do UFC teve como palco a HSBC Arena, no Rio. Em 2012, Edson Barbosa realizou a primeira luta do card principal do UFC 142. O fluminense de Nova Friburgo, famoso por sua agressividade, conquistou uma vitória que entrou para a história da organização contra o inglês Terry Etim.

Na ocasião, o duelo caminhava para a decisão dos juízes, até que, aos 2m02s do último round, Edson tirou um coelho da cartola e acertou um belíssimo chute rodado que entrou de encontro ao rosto de seu oponente, que imediatamente desabou ao chão, obrigando o árbitro a interromper o combate. O golpe, desde então, se tornou marca registrada do lutador, que sempre busca uma oportunidade para desferi-lo em suas lutas.

8 – Finais do ‘The Ultimate Fighter 4’

Em 2015, o Ultimate realizou sua quarta edição da série ‘The Ultimate Fighter’ (TUF), na qual os treinadores selecionados foram as lendas Maurício Shogun e Rogério Minotouro. Na ocasião, os dois atletas se enfrentariam na luta co-principal da noite, que precedeu a disputa de cinturão entre Bethe Correia e Ronda Rousey.

Os combatentes, que aspiravam uma vaga no Ultimate e chegaram às finais foram: Glaico França, que derrotou Fernando Bruno por finalização no terceiro round; e Reginaldo Vieira, vencedor pode decisão unânime dos juízes no duelo contra Dileno Lopes. Esta edição do TUF foi, inclusive, a última realizada com lutadores brasileiros.

7 – Revanche entre Minotouro e Shogun

Quem acompanha o MMA há mais tempo, certamente fala com certo saudosismo sobre o extinto ‘PRIDE’. No evento japonês, em 2005, Mauricio Shogun e Rogério Minotouro travaram um embate histórico durante 15 minutos.  A disputa é considerada por muitos como a maior luta da história.

Após anos de espera, o Ultimate agendou para a revanche para a capital fluminense. No UFC 190, em 2015, 10 anos depois, a primeira guerra. Mais experientes e longe dos holofotes de anos atrás, os lutadores dividiram octógono em outra luta que tirou o fôlego dos fãs. O resultado foi exatamente o mesmo. Em decisão unânime, Minotouro saiu derrotado por Shogun no embate que recebeu o prêmio de ‘Luta da Noite’.

6 – Amanda Nunes derrota Shayna Baszler e inicia escalada rumo aos cinturões

Nunes vence Baszler. Foto: Reprodução

O Rio de Janeiro também foi um marco na carreira de Amanda Nunes. A campeã peso galo e peso pena do UFC iniciou na capital fluminense sua sequência de oito triunfos até chegar ao topo de duas divisões da franquia. Em 2015, a Leoa havia realizado apenas três vitórias pelo UFC. Em duas ocasiões, saiu vitoriosa, porém, em 2014, amargou uma derrota por nocaute para Cat Zingano. Com a necessidade de se recuperar, Nunes foi convocada para atuar no UFC Rio contra a norte-americana Shayna Baszler.

Veja Também

Vídeo: Assista à pesagem do UFC 237 Rio com Anderson Silva, José Aldo e Jéssica Bate-Estaca. AO VIVO!
Bethe Correia não bate peso limite de sua categoria; luta de Francisco Massaranduba é cancelada no UFC 237
Como assistir o UFC 237 Rio AO VIVO pela TV e internet

Com o público a favor, a ‘Leoa’ precisou de apenas um round para confirmar o retorno à boa fase na carreira. A vitória marcou o início da escalada da ‘Leoa’ rumo ao topo da divisão. Três lutas após o duelo contra Shayna, Amanda finalmente teria sua chance de disputar e vencer o cinturão das galos contra a, então detentora do título, Miesha Tate, em 2016. Nunes, desde então, defendeu seu cinturão por três vezes e ainda conquistou a cinta na categoria das penas, quando chocou o mundo e nocauteou Cris Cyborg, em 2018.

5 – Aposentadoria de Rodrigo Minotauro após derrota contra Stefan Struve

O Rio de Janeiro também foi palco de emoção e despedida. Quando se fala em lendas do MMA, um nome certamente deve vir à cabeça: Rodrigo Minotauro. O brasileiro se tornou famoso, não só em terras tupiniquins, mas também no mundo, por ser uma representação clara de raça e determinação diante de seus adversários.

Em 2015, aos 39 anos, o baiano, ex-campeão peso pesado do UFC, travou um duelo contra o gigante holandês, Stefan Struve. Longe do seu auge, o brasileiro não conseguiu impor seu jogo contra o oponente e acabou sendo derrotado no UFC 190. Após a luta, Minotauro confirmou sua aposentadoria do MMA e passou a trabalhar como embaixador do Ultimate no Brasil.

4 – Max Holloway vence José Aldo no Brasil e cala a torcida

Não foram apenas de alegrias que o público brasileiro viveu nas edições do UFC no Rio de Janeiro, mas também de derrotas doídas.O manauara José Aldo, que adotou a capital fluminense como casa, perdeu seu reinado diante de sua torcida. Após ter perdido e recuperado o cinturão dos penas, no UFC 200, Aldo encontrou um grande adversário pela frente: Max Holloway.  Em evento agendado para o Rio de Janeiro, em 2017, no UFC 212, o ‘Campeão do Povo’ sucumbiu às habilidades de seu oponente e acabou derrotado por nocaute no terceiro round. No anúncio, o atleta tupiniquim está visivelmente emocionado com o revés

3 – Lyoto Machida dá show e vence Vitor Belfort por nocaute

Lyoto acerta Belfort. Foto: Reprodução

Em um clássico de veteranos, Lyoto Machida e Vitor Belfort se encontraram no octógono montado no Rio de Janeiro, no UFC 224. O final do embate trouxe um dos nocautes mais marcantes da história do esporte. Machida conectou um pisão frontal no compatriota e levou Vitor a lona. O golpe fez lembrar a forma com que Anderson Silva havia batido o atleta fluminense na disputa do cinturão dos médios, em 2012.

2 – Ronda Rousey cala Bethe Correia e defende título no Brasil

Ronda Rousey foi durante muitos anos a principal estrela do UFC. A loira desembarcou no Rio de Janeiro, em 2015, para defender o cinturão dos galos feminino contra a brasileira Bethe Pitbull. Mesmo fora de casa, a norte-americana dividiu a torcida na capital fluminense. Ela precisou de apenas 34 segundos para nocautear a atleta tupiniquim e defender seu reinado mais uma vez.

1 – José Aldo vence e vai para a galera

Em 2012, poucos pesos penas eram capazes de lutar de igual para igual contra o então campeão José Aldo. O Ultimate, então, colocou um atleta completo para tentar destituir o manauara: Chad Mends.

No UFC 179, Mendes entrou focado em acabar com o reinado do brasileiro. Tentando fazer uso de sua principal arma, o wrestling, o norte-americano conseguiu se agarrar a Aldo logo no primeiro round, pressionando o atleta contra as grades. Restando segundos para acabar o assalto, o ‘Campeão do Povo’, em um momento de pura felicidade, conseguiu girar o corpo e acertar uma joelhada certeira no rosto de seu oponente, o levando a nocaute. Em um momento de êxtase, o brasileiro abriu porta que dá acesso ao octógono e se jogou ao público para comemorar, promovendo um momento de muita emoção no local.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário