Amanda Nunes afirma que Cris Cyborg se recusou a enfrentá-la em revanche

Campeã das galos e penas confirma versão de Dana White de que brasileira rejeitou nova luta contra ‘Leoa’; curitibana nega

A. Nunes em entrevista em Las Vegas. Foto: Reprodução/YouTube TheMacLife

A campeã das galos (até 61,2kg.) e penas (até 65,7kg.), Amanda Nunes, voltou a comentar sobre a compatriota Cris Cyborg, a quem derrotou em dezembro do ano passado, conquistando seu segundo cinturão em duas divisões diferentes. A ‘Leoa’ afirmou que foi oferecida uma revanche à curitibana, mas, no entanto, a Cris se recusou a lutar. A declaração foi divulgada em entrevista ao ‘The Mac Life’, no média day do UFC 239, em Los Angeles.

Veja Também

Ex-campeões meio-médios, Colby Covington e Robbie Lawler se enfrentam em agosto, diz site
Dana White quer trilogia de Jones contra Cormier, mas nos pesos pesados
Jon Jones reconhece força de Marreta, mas minimiza chance de sofrer nocaute

Sem se aprofundar no assunto, a brasileira Amanda Nunes afirmou que Cyborg não mostrou desejo de recuperar seu título em uma revanche imediata. Recentemente, o presidente do Ultimate, Dana White, também confirmou que a curitibana rejeitou o combate.

“Ela não aceitou. Não sei o motivo”, respondeu Amanda sem dar muita explicação.

Além da questão sobre a revanche, Nunes foi perguntada sobre seu pensamento a respeito da maneira com que Cyborg entrou para o duelo ocorrido no final do ano. Muitos acreditavam na superioridade de Cris, que acabou sendo surpreendida com um nocaute ainda no primeiro round.

“Eu sabia que se ela fosse atingida, ela ficaria louca. Ela é uma atleta dura. Ela pressiona. Eu sabia que quando eu a atingisse, ela iria querer provar que é mais forte do que eu”, completou a ‘Leoa’.

No entanto, há outra versão dos fatos sobre um novo duelo entre Nunes e Cyborg. Em entrevista recente, a curitibana afirmou que Dana teria mentido ao afirmar que uma revanche foi oferecida a ela. Cris disse que um dia após sua derrota mandou uma mensagem para White solicitando uma revanche imediata, porém, não foi atendida.

A relação entre Cyborg e o UFC nunca foi das melhores. Embora o Ultimate tenha criado uma categoria para que a lutadora pudesse mostrar seu talento, nunca houve muito ímpeto da organização em promover muitos combates para a brasileira.

Cyborg é reconhecida no MMA feminino desde que se tornou campeã do extinto ‘Strikeforce’, em 2009. Em 2013, a atleta migrou para o ‘Invicta FC’ e, lá, conquistou o título das penas logo em sua segunda apresentação. Cris defendeu o cinturão em três oportunidades até finalmente assinar contrato com o UFC, em 2016.

Amanda Nunes já declarou seu desejo de se aposentar em breve. No entanto, uma revanche contra Cyborg será sempre solicitada pelos entusiastas do MMA. Um dos fatores dificultadores para que o embate ocorra é relação estremecida entre Cris e a diretoria do Ultimate e o fato de a atleta ter apenas mais uma luta em seu contrato, que acontecerá em julho, pelo UFC 240.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário