‘Leoa’ pede nova luta contra Cyborg para agitar divisão das penas: ‘A categoria está morta’

Amanda afirma que divisão está estagnada e necessita de um grande espetáculo para voltar a ter prestígio

A. Nunes (esq.) contra C. Cyborg (dir.). Foto: Reprodução/Instagram @amanda_leoa

A campeã das galos (61,2kg.) e penas (até 65,7kg.), Amanda Nunes, confirmou seu desejo de defender seu segundo cinturão antes de se retirar do MMA. A atleta declarou o desejo de dividir novamente o octógono com a compatriota Cris Cyborg, a quem destronou em dezembro do ano passado, por acreditar que a divisão das penas está muito parada. A informação foi divulgada em entrevista recente ao ‘MMA Junkie.

Saiba mais

Perto de enfrentar Jon Jones, Marreta mira Adesanya: ‘Adoraria bater nele’
Holly Holm elogia Amanda Nunes, mas diz: ‘Não sou Cyborg e nem Shevchenko’
Glover Teixeira enfrenta Nikita Krylov no UFC Vancouver, em setembro

“Eu acho que essa é uma luta para se fazer. Sabe, a divisão das penas está morta agora. Não tem ninguém naquela divisão. Cyborg era a mulher mais dominante no planeta. Eu acho que ela não imaginava que perderia para mim, e tão rápido como foi. Ela acha que quer provar algo, mas ela sabe que que sairá derrotada de novo. Mas acho que deveríamos dar a ela uma revanche. É tudo o que os fãs querem”, explicou Nunes.

No média day, ocorrido na semana que precede o UFC 239, no próximo sábado (6), no entanto, Amanda causou polêmica ao dizer que foi oferecida à curitibana uma revanche imediata para que Cyborg pudesse tentar reconquistar seu cinturão. Segundo a ‘Leoa’, a compatriota rejeitou o combate. O fato foi reafirmado pelo presidente do UFC, Dana White, mas prontamente negado por Cris.

Um dos fatores que dificultam para que um novo duelo volte a ocorrer é a complicada relação estabelecida entre a diretoria do Ultimate e a ex-campeã das penas. Ambas as partes têm se criticado publicamente o que pode impedir o andamento de uma negociação.

Outro impedimento é o fato de que o contrato vigente de Cyborg com a organização terminou. Cris tem apenas mais um compromisso, que, inclusive já está agendado para o dia 27 de julho, pelo UFC 240. Após isso, a curitibana está livre para assinar contrato com outras companhias.

A luta entre as atletas, ocorrida no fim do ano passado, foi bastante aguardada. Nunes, à época, surgiu como grande azarona nas casas de apostas, em consequência do grande prestígio e respeito com que Cyborg é tratada no meio do MMA, por ser, há tanto tempo, uma das atletas mais dominantes da história. O desfecho, porém, surpreendeu a todos. Com menos de um minuto de combate, Amanda conseguiu um belo nocaute sobre a compatriota e se tornou a primeira mulher a conquistar dois cinturões de diferentes categorias na história do UFC.

Mesmo revelando o desejo de encarar Cris, Amanda tem um grande compromisso marcado para o próximo sábado. A brasileira defende seu cinturão das galos pela quarta vez. Na sua frente ela terá uma ex-detentora do título, a norte-americana Holly Holm. O combate representará a luta co-principal da noite.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário