Ex-UFC, Brendan Schaub afirma que Cigano perdeu por medo de Ngannou

Veterano afirma que brasileiro sucumbiu ao adversário por temer força de oponente no UFC Minneapolis

B. Schaub em pesagem pelo UFC. Foto: Reprodução/YouTube UFC on Fox

A ‘velha guarda’ dos entusiastas de MMA certamente se lembrarão de Brendan Schaub. Nesta semana, o ex-peso pesado declarou que o brasileiro Junior Cigano, derrotado brutalmente pelo gigante Francis Ngannou, no último sábado (29), no UFC Minneapolis, teve medo da força do oponente e, por isso, teve sua performance influenciada em seu último compromisso.

Veja Também

Amanda Nunes afirma que estava bêbada quando cogitou aposentadoria
Na semana de duelo contra Holly Holm, ‘Leoa’ diz: ‘Estou preparada para tudo’
Gian Siqueira encara disputa de cinturão do SBC na Sérvia como um ‘passaporte para o UFC’

“Eu avisei que seria nocaute no primeiro round. Não achava não imaginava que seria um nocaute daquela forma, mas pensei que ele fosse balançá-lo antes e derrubá-lo no chão. Você não imagina o tanto que Francis bate forte. Quando Junior (Cigano) deu as costas para ele eu disse: ‘o que você está fazendo, cara?’ E aí, pronto. O golpe atrás da orelha que o derrubou”, declarou o lutador.

Schaub afirmou que nunca havia visto o brasileiro atuar daquela forma, tão cauteloso. Júnior vinha de um ótima sequência de três triunfos consecutivos, o que o colocou na mira do Ultimate como um possível desafiante ao título dos pesados, caso derrotasse Ngannou. No entanto, o catarinense sucumbiu ao poder do franco-camaronês e sofreu um nocaute brutal com menos de dois minutos de luta.

“Essa foi a primeira vez que vi Cigano parecer hesitante. Isso mostra o tanto que Francis é um cara assustador. Isso mostrou que Junior estava assustado por enfrentá-lo. Você pode notar que ele estava receoso”, declarou Brendan.

Schaub, hoje com 36 anos, atuou no UFC entre os anos de 2009 e 2014. O atleta, que atuava na categoria dos pesados (até 120,2kg.) chegou a travar batalhas com grandes nomes da história do MMA, como Roy Nelson, Andrei Arlovski e o brasileiro Rodrigo Minotauro. Dentro da companhia o lutador atuou por 11 vezes, triunfou em seis e saiu derrotado em cinco.

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário