Borrachinha passa por cirurgia no braço e afirma que lutou lesionado contra Romero

Brasileiro realiza procedimento para correção em tendão do bíceps, no qual sofreu um rompimento parcial; lutador não tem data para voltar às lutas

P. Borrachinha teve uma ascensão meteórica nos médios do UFC. Foto: Reprodução/Instagram @borrachinhamma

O peso médio (até 83,9kg.), Paulo Borrachinha, passou por uma cirurgia para corrigir uma lesão no tendão do bíceps, no qual o atleta sofreu um rompimento parcial. O lutador afirmou que a situação não foi causada após o combate contra Yoel Romero, mas que já vinha com o problema desde antes do combate realizado em agosto, pelo UFC 241. Em entrevista ao ‘Combate’, o mineiro comentou sobre o procedimento e disse não ter data para retornar ao octógono.

Veja Também

Três meses após anunciar aposentadoria, Gustafsson pensa em retorno e mira Rockhold
Chael Sonnen afirma que fama mundial de Khabib pode prejudicar russo neste sábado
Nate Diaz publica imagem em treino duas semanas após bater Pettis

“Já sabia dessa lesão. Lutei (contra Romero) com o braço lesionado, com 50% dele (tendão) rompido, ou seja, tinha só 50% de força no braço esquerdo, mas lutei e ganhei. Depois da luta, fiz um exame novamente e estava um pouco pior, muito inflamado e com edema. E, como a gente sabe que a próxima luta será pelo título, e vai demorar um pouco, mais de cinco meses provavelmente, então resolvi fazer essa cirurgia rapidamente”, contou Paulo.

A cirurgia foi realizada nos Estados Unidos, mais precisamente em Los Angeles. Segundo o atleta, ele poderá realizar movimentos com o braço no prazo de 10 dias, mas pode realizar atividades leves, quem não implicam a necessidade do braço operado, normalmente. A expectativa é que o lutador esteja pronto o mais rápido possível para lutar pelo título de sua divisão no ano que vem.

O lutador garantiu o direito de enfrentar o vencedor entre os campeões da divisão, Israel Adesanya (interino) e Robert Whittaker (linear), que travam um duelo pela unificação do título no dia 5 de outubro, pelo UFC 243, na Austrália. O próprio presidente do UFC garantiu a presenta do brasileiro no card, para que seja realizado o desafio apropriado ao campeão absoluto da categoria.

Sobre o combate de outubro, Borrachinha não ficou em cima do muro sobre sua opinião em quem sai vencedor do combate. Desafeto confesso de Adesanya, o lutador afirmou acreditar que o nigeriano não será capaz de superar Whittaker, conhecido por suas mãos pesadas e agressividade.

“Não estou apostando (no Adesanya), na verdade até acho que ele vai perder para o Whittaker. Mas, de uma forma ou outra, qualquer hora a gente vai ter que lutar, e quero muito lutar com ele porque ele é falastrão”, comentou o mineiro. “Já falou de mim para caramba na minha ausência, e vou cobrar dele a conta. Mas acho que ele vai perder para o Whittaker, que acho que é mais completo. Tem jiu-jítsu, tem wrestling, e o Adesanya só tem muay thai. Por isso ele vai sucumbir”, falou o lutador.

Borrachinha é uma das apostas do Brasil para a nova geração do MMA nacional. Atualmente, o atleta de 28 anos tem 13 lutas na carreira e nunca foi derrotado. Em seu cartel profissional o mineiro soma 11 nocautes.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário