Covington afirma que rejeitou luta contra Usman: ‘Queriam me pagar como desafiante. Sou campeão’

Número um entre os desafiantes dos meio-médios confirma que parte financeira foi primordial para duelo não ocorrer no UFC 244

C. Covington em coletiva do UFC. Foto: Reprodução/Facebook @ColbyCovington

A desistência oficial do agendamento do combate entre Kamaru Usman e Colby Covington, válido pelo cinturão da categoria dos meio-médios (até 77kg.), especulada para ocorrer no UFC 244, em novembro, frustrou a expectativa de muitos fãs de MMA que aguardam para assistir o combate. Após retirada do duelo do card, Colby comentou que não aceitou o confronto por não concordar com os valores oferecidos. A declaração foi feita em entrevista nesta segunda-feira (9), ao ‘MMA Fighting’.

Saiba mais

Bellator e RIZIN estudam duelo entre Rampage Jackson e Fedor para 29 de dezembro
Dana confirma cinturão de ‘Filho da Mãe Mais Duro do Jogo’ a vencedor entre Nate e Masvidal
Equipe de Edson Barboza entra com recurso para anular derrota para Paul Felder no UFC 242

“O que aconteceu exatamente foi que o UFC veio até mim e me ofereceu uma taxa básica de desafiante. Eu disse que não, não estou desafiando. Eu sou campeão. Eu nunca perdi, apenas defendi meu título. Eu trouxe os  Trumps (presidente dos Estados Unidos e seu filho). Recebi um tweet do (Donald) Trump, que custa cerca de US$ 3,5 milhões (cerca de R$13,3 milhões) em marketing”, afirmou o lutador.

O norte-americano insiste em bater na tecla de que é o campeão da divisão devido ao fato de, em junho de 2018, ter conquistado o título interino da categoria. O cinturão, no entanto, foi retirado do atleta após passar por um longo período de inatividade, O norte-americano retornou ao octógono apenas em agosto deste ano, quando bateu Robbie Lawler na luta principal do UFC Newark.

Para justificar o fato de querer ser mais valorizado, o atleta lembrou de quando visitou o Brasil e acabou causando um grande tumulto, após ofender a população e o país. O caso aconteceu em outubro de 2017, quando o combatente foi à São Paulo para enfrentar Demian Maia.

“Eu arrisquei a minha vida por esta empresa. Fui para o Brasil, disse coisas estranhas onde as pessoas literalmente queriam me matar e eu tinha gangues nas favelas vindo atrás de mim e eles ainda querem vir até mim com esse desafio básico, dinheiro de nada? Estou defendendo o que é certo”, finalizou Covington.

O combate entre Usman e Colby é aguardado por muitos, já que ambos são desafetos confessos e têm trocado ofensas públicas nas redes sociais e quando se encontram nos bastidores do MMA.

A luta principal do UFC 244, que seria protagonizada pelos atletas, foi substituída pelo combate entre Nate Diaz e Jorge Masvidal.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário