White fala sobre Colby negar combate contra Usman: ‘Quando ele quiser lutar, vai nos avisar’

Presidente do Ultimate afirma que luta pelo cinturão entre os meio-médios não aconteceu por conta de Covington

C. Covington (foto) é criticado por D. White. Foto: Reprodução/Instagram @colbycovmma

A frustração do Ultimate por não ter conseguido confirmar o combate entre Kamaru Usman e Colby Covington ainda é motivo de discussão para os entusiastas de MMA. Na ocasião, o combate, que deveria encabeçar o UFC 244, que acontece em novembro, não foi oficializado por dificuldades impostas pelo norte-americano por conta do não acerto financeiro. Dana White confirmou que os problemas foram gerados pelo ‘Caos’ e afirmou, em entrevista recente ao ‘MMA Junkie’, que o norte-americano certamente irá procurar a empresa quando quiser lutar.

Veja Também

White fala sobre Colby negar combate contra Usman: ‘Quando ele quiser lutar, vai nos avisar’
Estreante no Ultimate, Vanessa Melo falha em corte de peso para luta neste sábado
Dana afirma que Conor deve voltar a lutar em dezembro ou no início de 2020

“Colby pode falar o que quiser, mas nós trabalhamos marcando lutas. É isso o que fazemos. Nós vamos atrás dos atletas e dizemo: ‘Esse é o próximo compromisso, essa é a data. Você quer a luta? Obviamente ele queria mais dinheiro para enfrentar Usman. Nós vamos para frente e para trás”, disse o presidente.

Recentemente, Covington tem disparado inúmeras críticas à maneira com que o Ultimte negocia seus contratos. Para o norte-americano, ele deveria ser mais valorizado para realizar o combate.

Para a disputa pelo cinturão dos meio-médios (até 77kg.) contra o nigeriano, Colby afirmou que rejeitou o compromisso pelo fato de o UFC tê-lo oferecido uma bolsa de desafiante. Segundo o lutador, ele merecia ser proporcionalmente como campeão, já que ostentou, mesmo que por pouco tempo, o cinturão interino da divisão.

Para o mandatário, no entanto, o tratamento com Covington não será diferenciado. Segundo White, o atleta já causou problemas para agendamentos de combates seguindo as mesmas problematizações.

“Essa é a segunda vez que ele (Covington) faz isso. Ele tinha uma luta em Dallas (EUA, 2018) também. Então nós dissemos: ‘Se não quiser enfrentar Usman, então você vai lutar contra Tyron Woodley. Ele também negou Woodley. Ou você quer lutar ou não quer. Quando Colby Covington quiser lutar, ele vai nos procurar”, finalizou o chefão.

Após encerradas as negociações para o duelo ocorrer em novembro, pelo UFC 244, a luta principal foi rapidamente alterada pelo Ultimate. O protagonismo do evento, a ser realizado em Nova York, ficará por conta de Jorge Masvidal e Nate Diaz, que buscam a ascensão para futuramente poderem disputar o título na mesma divisão de Colby.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário