Em mau momento no UFC, Alex Cowboy quer lutar ainda este ano: ‘Estou inteiro, com a mente firme’

Vindo de três derrotas seguidas, brasileiro quer espantar fase conturbada e voltar a vencer pelo Ultimate

A. Cowboy quer voltar a vencer pelo UFC. Foto: Divulgação / Twitter @ufc_Brasil

O brasileiro Alex Cowboy já foi considerado uma espécie de xodó da torcida tupiniquim no Ultimate. No entanto, de uns tempos para cá, algo mudou e o atleta se vê em uma situação delicada na carreira após amargar três derrotas seguidas, a pior série de sua carreira. Ciente do mau momento, o atleta, que vem de revés recente e controverso para Nicolas Dalby, em setembro, pediu para lutar em mais uma ocasião em 2019. O pedido foi feito em entrevista ao ‘Combate’.

Veja Também

Jones sobre Adesanya: ‘Quando tiver confiança para lutar comigo, já estarei nos pesados’
Após se tornar campeão absoluto dos médios, Adesanya provoca Borrachinha: ‘Vou fazer dele a minha vadia’
Nocaute de Adesanya sobre Whittaker rende prêmio de ‘Performance da Noite’ a nigeriano após UFC 243

“Quero lutar este ano. Se pudesse lutar contra ele (Dalby) de novo, gostaria de mostrar que essa derrota não foi desse jeito. A luta era minha. Quero manter a cabeça no lugar e só lutar. Se for contra ele, melhor ainda. Tenho que aguardar o UFC. Estou treinando, não me machuquei, estou inteiro, com a mente firme. A vida segue”, disse o combatente.

No episódio referido contra Nicolas, pelo UFC Copenhague, o lutador faz referência a um momento em que dominava o combate no chão, levanto visível vantagem, quando o árbitro da peleja, Rebin Saber, interrompeu a vantagem e fez com que o combate retornasse em pé. O episódio prejudicou o tupiniquim no duelo e acabou influenciando diretamente no resultado.

“Todo mundo viu, nem preciso falar nada. Errou, tudo bem, vida que segue. Podia ter deixado a luta rolar, eu estava por cima. Ele falou que não tinha ação, mandou levantar. Eu não preciso falar mais nada, todo mundo viu. Aconteceu, está tranquilo”, declarou o atleta.

Em maio deste ano, o trirriense acabou parando nas páginas policiais após se envolver em problemas pessoas com sua companheira. Na ocasião, o lutador foi acusado de carregar seu filho recém-nascido em uma moto após uma discussão com a parceira. O lutador afirmou que as polêmicas envolvendo sua pessoa podem ter influenciado negativamente sua carreira, mas garante estar novamente no caminho certo.

“É uma coisa que eu quero guardar para mim mesmo. Todo mundo passar por essa fase, infelizmente, estou passando. Todo atleta tem má fase. Quando a gente está encaixando nas coisas certas, vem algumas coisas na vida que acontecem, particulares, que são fod*. Quero que essa fase passe logo. O ano de 2019 não foi bom para mim. Eu já mudei muitas coisas, coisas que me deixavam confortável. Estou fazendo direito. Estou na minha casa com a minha família, treinando direito, focado”, finalizou o brasileiro.

Cowboy, que estreou pelo Ultimate em 2015, atualmente está com 31 anos. Em seu cartel profissional o atleta já realizou 27 combates, com 19 vitórias e oito derrotas.  O Último triunfo do lutador aconteceu há mais de um ano, quando Alex bateu Carlo Pedersoli na luta co-principal do UFC São Paulo.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário