Derrotado por Adesanya, Whittaker evita dar desculpas por revés: ‘Fui pego. Isso acontece’

Atleta mostra desapontamento com resultado, que rendeu a perda do título dos médios, mas mostra pés no chão após atuação no UFC 243

R. Whittaker em coletiva após o UFC 243. Foto: Reprodução /YouTube TheMacLife

O ex-campeão dos médios (até 83,9kg.), Robert Whittaker, mostrou muita maturidade ao falar pela primeira vez após sua derrota para Israel Adesanya no UFC 243, realizado no último sábado (5), em Melbourne, na Austrália. Em coletiva ocorrida depois do evento, o lutador afirmou sua decepção pelo resultado, mas não procurou desculpas para justificar o revés para o rival.

Veja Também

Em mau momento no UFC, Alex Cowboy quer lutar ainda este ano: ‘Estou inteiro, com a mente firme’
Jones sobre Adesanya: ‘Quando tiver confiança para lutar comigo, já estarei nos pesados’
Após se tornar campeão absoluto dos médios, Adesanya provoca Borrachinha: ‘Vou fazer dele a minha vadia’

“Obviamente, estou desapontado, mas dou os méritos para ele. Eu e ele somos dois dos melhores trocadores do mundo, e o duelo estava parelho. Eu fui pego. Isso acontece”, disse o lutador, mostrando serenidade ao falar momentos após descer do octógono.

O atleta, no entanto, afirmou o a ânsia para retornar ao topo. O australiano colocou a pouca idade como triunfo para retornar a vencer e poder voltar a ostentar, um dia, o cinturão.

“Ele me venceu nesta noite, mas eu tenho 28 anos. Esta é a minha primeira derrota na divisão e acreditem em mim quando eu digo que eu não vou a lugar algum”, declarou o ex-campeão.

Robert estreou entre os médios após apresentar uma sequência de combates irregulares quando atuava pelos meio-médios (até 77kg.). Na antiga categoria, pelo Ultimate, o atleta realizou cinco confrontos, vencendo três e sendo derrotado em duas ocasiões consecutivas; uma, para Court McGee (2013) e a outra para Stephen Thompson (2014).

Quando, enfim, optou por atuar na divisão mais pesada, o atleta finalmente encontrou seu lugar. Antes do UFC 243, o australiano havia realizado oito confrontos e saiu vencedor em todas as oportunidades, vencendo nomes como Rafael Natal, Uriah Hall, Derek Brunson, Ronaldo Jacaré e Yoel Romero (duas vezes), quando se tornou campeão da divisão.

Mesmo derrotado, Whittaker afirmou que deixa o evento sem nenhuma lesão aparente. O lutador confirmou que está se sentindo bem e estará apto para atuar o mais breve possível para, enfim, retomar sua escalada rumo a uma nova chance de lutar pelo seu antigo título.

“Graças a Deus eu não estou lesionado. Eu levei o nocaute, mas eu estou saudável. Vou voltar ao trabalho daqui a alguns meses. Estou no mercado. Estou aqui para lutar. Estou de volta ao trabalho e me senti muito bem na luta. Estou na minha melhor condição física. Apenas fui pego e isso acontece”, contou.

Além da disputa pela unificação do título dos médios, o combate marcou o retorno de Robert ao octógono após mais de um ano de inatividade. O australiano se encontrava incapacitado de realizar combates após ser parado por uma série de lesões. Com o resultado desfavorável, o atleta afirmou o desejo de reeditar o combate contra Israel em uma outra oportunidade.

“Eu gostaria enfrentá-lo em uma outra noite. Vamos fazer de novo. EU acho que posso vencê-lo. Por isso que é tão decepcionante, eu acho. Eu sinto que posso ganhar dele, e acho que tenho as mãos para derrotá-lo. Mas trocamos socos e eu fiquei com o segundo lugar. Tenho que tirar o chapéu para ele”, finalizou Whittaker.

Robert, atualmente, tem 28 anos. O lutador, que estreou no MMA em 2009, hoje, soma em seu cartel profissional 25 lutas, com 20 vitórias e cinco derrotas.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário