Com Borrachinha machucado, Gastelum quer vitória neste sábado para desafiar Adesanya: ‘Aquele cinturão é meu’

De olho no cinturão, norte-americano está de volta ao octógono e enfrenta Darren Till na luta co-principal do UFC 244

K. Gastelum em preparação para luta. Foto: Reprodução/Facebook UFC

Ex-desafiante ao título interino dos médios (até 83,9kg.), Kelvin Gastelum está de volta ao octógono neste sábado (2), no UFC 244, em Nova York e travará a luta co-principal da noite contra Darren Till. O norte-americano quer apagar a derrota para Israel Adesanya em sua última batalha, vencer o inglês e poder pedir a revanche para o nigeriano, que, hoje é o campeão mundial. A declaração foi feita ao ‘Combate’.

Veja Também

Vicente Luque se empolga para luta contra Stephen Thompson neste sábado: ‘Vai ter muita ação’
Cat Zingano segue os passos de Cris Cyborg e assina com o Bellator
Paul Craig será o novo adversário de Shogun para o UFC São Paulo

“Essa é a luta que vai me colocar de novo em uma disputa de cinturão. Sinto que se entrar lá e conseguir vencer de maneira impressionante, contra um cara como o Darren Till, a revanche contra o Israel Adesanya será inevitável. E é isso que eu vou fazer. Prevejo uma vitória por nocaute no primeiro round. O Paulo Borrachinha merece ser o próximo a disputar o título, mas vou furar essa fila na frente dele”, declarou o combatente.

Recentemente, o presidente do UFC, Dana White, surpreendeu os fãs de MMA ao anunciar que Paulo sofreu uma lesão no bíceps e acabou passando por um procedimento cirúrgico, o que o afastará do esporte por, pelo menos, oito meses. Caso se confirme a informação, o brasileiro estaria impossibilitado de encarar Israel, pelo menos, até a metade de 2020.

A lesão do mineiro abre as portas para a possibilidade de outros atletas poderem tentar conquistar o cinturão do nigeriano e Gastelum é um deles. Para isso, o norte-americano deverá estragar a estreia de Till entre os médios.

“O Darren Till é um bom canhoto, tem habilidade no kickboxing, é bom no boxe, mas não acho que no wrestling ele seja melhor do que eu; muito menos no jiu-jítsu. Ele não vai ter uma movimentação de cabeça melhor do que a minha. Preciso saber quais são os pontos fortes dele, porque ele é perigoso, porém sou melhor em todas as áreas”, disse Kelvin.

Darren está subindo dos meio-médios para tentar a sorte na categoria de cima. O inglês deixou a divisão, hoje dominada por Kamaru Usman, na décima posição, e vindo de duas derrotas consecutivas; uma delas, pelo cinturão da categoria. Para o norte-americano, independente da estreia do rival ou não, o foco é na vitória.

“Essa coisa de ele estar subindo de divisão não muda a luta. Já passei por isso e sei como é. O que importa é que ele está subindo para os médios, está tentando tomar o meu lugar, mas não tem a menor possibilidade de eu deixar que isso aconteça. Eu sou o melhor cara desta divisão, quero entrar lá e provar isso. O Israel Adesanya está andando por aí com o meu cinturão e eu quero garantir a chance pelo título porque vou retomar o que é meu. Esse cinturão me pertence”, finalizou o atleta.

Gastelum e Israel travaram uma verdadeira batalha em luta válida pelo cinturão interino dos médios ocorrida em abril deste ano, pelo UFC 236. Após cinco rounds de intensa movimentação e contato, o nigeriano acabou saindo vencedor na decisão unânime dos juízes, o que garantiu ao atleta a chance de enfrentar o ex-campeão linear, Robert Whittaker, a quem derrotaria em peleja válida pela unificação do título, em outubro.

Atualmente, Gastelum soma 20 lutas em sua carreira profissional, com 15 vitórias, quatro derrotas e um combate sem resultado.

Till, por sua vez, tem 20 apresentações, com 17 vitórias, duas derrotas e um empate.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments