Robert Whittaker sobre título dos médios: ‘Nunca gostei de ser campeão’

Ex-número um da categoria diz que prefere atuar sem grandes promoções e relata prazer de ser considerado azarão em seus confrontos

R. Whittaker ostenta seu antigo cinturão. Foto: Reprodução/Instagram @robwhittakermma

O ex-campeão dos médios (até 83,9kg.), Robert Whittaker, surpreendeu ao dizer que não tinha gosto por ser considerado o número um de sua divisão. Após perder o título para Israel Adesanya, em outubro, o australiano revelou que prefere atuar longe dos holofotes e da mídia. Em entrevista ao ‘Ariel Helwani’s MMA Show’, o combatente contou sobre suas expectativas e planos para o futuro no MMA.

Veja Também

Ex-UFC acusa namorado de agressão: ‘Não levava as ameaças a sério’
Parceiro de treino sobre Aldo nos galos: ‘Vai surpreender com a velocidade e força’
Livinha Souza sofre lesão e está fora do duelo brazuca contra Virna Jandiroba no UFC Washington

“Eu não gostava muito (de ser campeão). É uma daquelas coisas que acontecem com alguns atletas profissionais, mas acabava me distraindo. Tem muita mídia, muita expectativa e pressão. Isso não ia de acordo comigo”, revelou.

O australiano, no entanto, garantiu que sua paixão está apenas em atuar. O atleta prefere o desafio de encarar seu próximo adversário e não apenas perseguir um cinturão.

“Eu mantenho o foco em uma luta de cada vez. Eu gostava disso. Eu amava fazer isso. Agora, estou mais faminto do que nunca. Honestamente, posso dizer isso. Estou animado para o meu próximo compromisso e o que o próximo ano me trará. Mal posso esperar para voltar a lutar”, disse o combatente.

Embora o cinturão não seja uma obsessão para o ex-campeão, se engana que uma nova disputa pelo título está descartada pelo atleta. Embora não seja o alvo fixo, o australiano garante que, caso continue vencendo, eventualmente terá novamente uma chance de figurar no topo da categoria, que hoje é dominada por Adesanya.

“O cinturão nunca foi o objetivo maior. O título nunca foi o alvo, mas, sim, o resultado de um bom trabalho”, comentou.

Robert também afirmou outro fator motivacional para que ele siga com sua carreira mesmo depois de ter sido desbancado por Israel. O peso médio disse que ser considerado o azarão é uma das causas que o fazem treinar e chegar ao ponto de derrotar seus adversários.

“Eu sempre fui um cara que gosta de lutar. Eu gosto do desafio, do próximo adversário. Eu gosto de trabalhar sobre como vou te vencer. Outra coisa é que amo ser o azarão. Adoro quando as pessoas escrevem que vou perder. Amo as batalhas”, finalizou o australiano.

Whittaker ainda não tem seu próximo oponente confirmado pelo Ultimate. No entanto, nas últimas semanas o atleta topou o desafio feito por Darren Till, que recentemente deixou a categoria dos meio-pesados (até 77kg.) e saiu vitorioso sobre o ex-desafiante do título interino dos médios, Kelvin Gastelum.

Tanto o inglês quanto o australiano aceitaram trocar forças e a sugestão foi uma batalha no UFC Londres, em 2020. O UFC, porém, ainda não confirmou as negociações.

 

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments