Jacaré enxerga duelo contra Uriah Hall como ‘recomeço’ e entende a obrigação de vencer

Vindo de duas derrotas consecutivas, brasileiro, que retorna aos médios em 18 de abril, precisa retomar o caminho das vitórias no Ultimate

R. Jacaré (foto) volta ao octógono em abril. Foto: Reprodução/Facebook ufcbrasil

O brasileiro Ronaldo Jacaré vive um momento atípico em sua carreira. Considerado, há alguns anos, um dos atletas mais perigosos entre os médios (até 83,9kg.), o combatente, hoje, vive um período instável de sua carreira. Vindo de duas derrotas consecutivas e um ‘teste’ com derrota na divisão de cima, o lutador enxerga o sinal de alerta ligado e vê no duelo contra Uriah Hall, no UFC 249, em 18 de abril, a oportunidade de redenção. Em entrevista ao ‘Ag.Fight’, o capixaba falou sobre o assunto.

Veja Também

Dana White critica discussão entre Kamaru Usman e Jorge Masvidal em evento da NFL
Jon Jones responde provocação de Adesanya e projeta luta contra Miocic após UFC 247
Petr Yan afirma que gostaria de enfrentar TJ Dillashaw quando suspensão de atleta for encerrada

“Acho que vai ser uma luta bem difícil. Talvez uma das mais da minha carreira. Venho de resultados nada positivos, então, preciso muito vencer. Além dele ser um oponente duro, tenho muito respeito por ele, até o sigo nas redes sociais. Tudo indica que ele vai usar o estilo dele, se impor, mas só lá na hora vamos ver o que acontece. Estou treinando para tudo e espero que consiga colocar meu jogo em prática para vencer”, afirmou Ronaldo.

O brasileiro também comentou sobre a sua rápida passagem na divisão dos meio-pesados (até 93kg.). Na ocasião, após anunciar que se experimentaria na categoria de cima, o Ultimate logo o escalou para encarar um dos atletas da linha de frente do grupo liderado por Jon Jones. Jacaré veio ao Brasil e fez uma luta dura contra Jan Blachowicz no UFC São Paulo, em novembro.

“Meu médico tinha falado para eu ir para a categoria de cima, que seria bom para mim. Mas me deram um adversário bem duro, ranqueado e achei que seria interessante. Todo mundo achava que ele ia me matar, mas não foi bem isso. Eu quero trabalhar o máximo possível, fazer boas lutas, mas agora focar no peso-médio. É vencer e vencer”, finalizou.

Ronaldo, que já esteve próximo de disputar o título dos médios em algumas ocasiões, hoje, vive um momento totalmente diferente. Como havia migrado para a categoria de cima, o combatente deixou oficialmente o ranking dos médios e busca reintegrar a elite do grupo.

No retrospecto recente do brasileiro, Ronaldo soma três derrotas em suas últimas cinco apresentações. O combatente não tem dois triunfos consecutivos desde 2017.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments