Vindo de derrota, Elizeu Capoeira mira grande apresentação contra Alexey Kuchenkoneste sábado  

Depois de ter uma sequência de sete vitórias consecutivas quebradas no ano passado, brasileiro está pronto para retomar o caminho das vitórias

E. Capoeira vem de derrota no UFC. Foto: Reprodução/Facebook @UFC

Acostumados em terminar as lutas com seu braço levantado pelo árbitro, Elizeu Capoeira viveu um momento incomum no ano passado. Após ter uma sequência de sete triunfos consecutivos encerrada por Li Jingliang, em agosto do ano passado, o brasileiro terá a oportunidade de se recuperar ‘em casa’, no confronto contra Alexey Kunchenko, no UFC Brasília, que acontece neste sábado (14). Em entrevista ao ‘Combate’, o paranaense falou sobre a última performance e a expectativa para o próximo desafio.

Veja Também

Weili Zhang elogia Joanna Jedrzejczyk após luta histórica no UFC 248: ‘Trabalhamos juntas’
Sem lutar há quase um ano, Anderson Silva descarta aposentadoria: ‘Não vou parar ainda’
Após quase 10 anos atuando pela empresa, Edson Barboza pede para ser dispensado pelo UFC: ‘Deixe-me ir’

“(No último compromisso), não foi meu dia, mas dei meu máximo lá dentro e não fica nenhum arrependimento. Acho que em cada luta você acaba tirando um pouco de lição. No meu caso, acho que foi realmente voltar a treinar um pouco mais minha base, ter mais paciência, foi isso que tentei buscar. Fortalecer minha base de novo, ter mais cautela e objetivo na hora da luta. Quando a gente vem de uma grande sequência, a gente acaba pensando lá na frente e esquece a base. Foi essa a lição”, disse o brasileiro.

Contra Li, Capoeira era considerado franco favorito, mas acabou surpreendido com a intensidade na estratégia do oponente. Após três rounds, o paranaense acabou sucumbindo com um nocaute.

Para o confronto contra Alexey, Elizeu garante que o revés ficou no passado e está focado em voltar a vencer pela organização.

“Ele é um cara agressivo, que gosta de andar para a frente, é trocador, trabalha mais em pé. Não gosta muito de botar pra baixo, mas tem boas quedas, tem boa defesa de quedas também. Trabalha muito bem o boxe dele. A gente vê as lutas dele, até mesmo contra o Durinho, e ele chuta bastante. Ele é um cara que com certeza vai querer trocar, então tem tudo pra ser uma ótima luta”, finalizou.

Aos 33 anos, o brasileiro se encaminha para a sua 28ª luta como profissional no MMA. O paranaense, hoje, soma 21 vitórias e seis derrotas na carreira.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments