Henry Cejudo apoia decisão de adiar as Olimpíadas de 2020: ‘O certo a se fazer’

Medalhista de ouro no wrestling em 2008, norte-americano comenta decisão do comitê de realizar os jogos em 2021 por conta do coronavírus

H. Cejudo

H. Cejudo com seus cinturões. Foto: Reprodução/Instagram @hemry_cejudo

Um dos maiores impactos da pandemia do coronavírus (COVID-19) no esporte foi o adiamento das Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio, que aconteceria em julho deste ano. Com histórico na competição, o medalhista e campeão do UFC, Henry Cejudo, manifestou seu apoio ao Comitê Olímpico Internacional (COI) em transferir o evento para 2021. O lutador falou sobre o assunto em comunicado ao ‘MMA Fighting’.

Veja Também

Por coronavírus, principal comentarista do Ultimate questiona realização do UFC 249
Polícia sugere que, além de álcool, Jon Jones pode ter consumido maconha na noite da prisão
Thiago Marreta e outros rivais comentam nova prisão de Jon Jones

“Eu acho que adiar as Olimpíadas é a coisa certa a se fazer. Se você não adiar as Olimpíadas, há 10.000 atletas que competem, que estão na Vila Olímpica. Eu só acho que é a coisa certa a fazer neste momento”, disse o atleta.

Henry entende que não é o momento de arriscar a integridade física de milhares de pessoas responsáveis pela realização de um dos maiores eventos esportivos da história. Para ‘Triplo C’, o adiamento pode ser, inclusive, benéfico para alguns atletas, que se recuperam de lesões e podem ter mais tempo para a preparação.

“Eles vão ter (os jogos). Vão tê-lo em 2021. Acho que, para o bem do mundo, deveria ser adiado. Para aqueles atletas que possivelmente estão machucados ou precisam de mais tempo, quero dizer que eles vão tê-lo (o tempo) agora. O que é um bom negócio para muitas pessoas que passam por lesões e o que não passa. Portanto, é uma decisão difícil, mas é a decisão certa. Estou contente por ter conseguido o meu ouro em 2008 sem problemas”, finalizou Cejudo.

De acordo com o COI, a expectativa é que os jogos aconteçam próximo ao verão do próximo ano, que ocorrem em fevereiro, no Japão.

Henry foi campeão olímpico em 2008, em Pequim (CHI) representando os Estados Unidos no wrestling. Em 2013, o atleta realizou sua estreia no MMA. Desde então, o combatente tem feito uma carreira de sucesso nas artes marciais mistas, conquistando, inclusive, dois cinturões em divisões diferentes pelo Ultimate (moscas e galos).

O norte-americano, agora, se prepara para sua defesa de título. O lutador vai enfrentar José Aldo na luta principal do UFC 250, que acontece em 9 de maio, em São Paulo.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário