Empresário de Khabib defende realização do UFC 249: ‘Os caras querem lutar’

Ali Abdelaziz afirma que manutenção do evento de 18 de abril é essencial para a vida dos atletas, que, segundo o agente, precisam prover por suas famílias

T. Ferguson (esq.) enfrenta K. Nurmagomedov (dir.) em abril. Foto: Reprodução/Instagram @tonyfergusonxt

A cada dia que passa, a preocupação dos fãs de MMA com a realização ou não do UFC 249 aumenta. Sem local definido, mas com a data mantida em 18 de abril, o evento, que corre riscos de ser adiado por conta da pandemia do coronavírus (COVID-19), segue como incógnita. Empresário de Khabib Nurmagomedov, um dos protagonistas do card, Ali Abdelaziz defende que o espetáculo aconteça mesmo com as medidas preventivas aplicadas ao redor do mundo. Em entrevista ao ‘MMA Fighting’ o agente deu sua opinião sobre o assunto.

Veja Também

H. Cejudo
Henry Cejudo apoia decisão de adiar as Olimpíadas de 2020: ‘O certo a se fazer’
Por coronavírus, principal comentarista do Ultimate questiona realização do UFC 249
Polícia sugere que, além de álcool, Jon Jones pode ter consumido maconha na noite da prisão

“EU acho que o UFC ou qualquer outra empresa que têm lutadores sob contrato, eles têm que encontrar uma solução. Eles são contratantes independentes. Não têm salários. Alguns atletas ganham de US$10 mil em US$10 mil, US$15 mil em US$15 mil. Eles vivem de cheque em cheque. É assim que ganham dinheiro e isso vem acontecendo por 20 anos”, disse Ali.

Pensando em manter o evento, Abdelaziz endossou o coro de Dana White, que criticou a mídia, sugerindo que a imprensa é a responsável por tratar a pandemia de forma alarmante, gerando, segundo o presidente, uma atmosfera de histeria.

“Para você, como membro da imprensa, que critica um treinador ou lutador, quem quer que seja, se você é um lutador e não quer lutar, tudo bem. Não lute. Se o UFC está disposto e Dana White está disposto a colocar sua reputação e dinheiro e ser processado, colocar isso em risco e lutar e os atletas estão dispostos a se apresentar, eu não acho que ninguém tem o direito de dizer a eles para não lutarem”, afirmou o agente.

Por fim, Ali comentou sobre a vontade dos atletas escalados para o espetáculo de abril em trocar forças no octógono. Para o agente, desde que não haja público, não há impedimentos para o show.

“Esses caras querem lutar. Eles estão em treinamento há dois ou três meses. Eu tinha atletas que lutam em 18 de abril, que lutariam em 11 de abril e 28 de março (eventos cancelados). Eu tenho assinado cheques para alguns desses caras, porque eles têm pago minhas contas nos últimos 10 anos, então, eu tenho que ajudá-los. Não me importo”, finalizou Abdelaziz.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments