Durinho fala de luta contra Woodley, possível duelo com parceiro Kamaru Usman e desafeto com Covington

Número 6 no ranking dos meio-médios contou sua ascensão meteórica na divisão, analisou sua próxima uta contra Tyron Woodley e projetou seu futuro na categoria

Gilbert Durinho está próximo da luta mais importante de sua carreira. O brasileiro, sexto colocado no ranking dos meio-médios (até 77.1 kg.) encara o norte-americano Tyron Woodley, primeiro na classificação. Em caso de triunfo, o faixa-preta tupiniquim fica próximo da luta pelo cinturão.

Antes de subir do octógono, no entanto, Durinho falou com o SUPER LUTAS em entrevista exclusiva. Ele contou da preparação para encarar o ex-campeão, a rivalidade com Colby Covington e um eventual duelo com o parceiro de treinos Kamaru Usman.

Veja Também

Gilbert Durinho confirma luta contra Tyron Woodley para 30 de maio: ‘Vamos com tudo’
Vídeo: Invicto no MMA, Rodrigo ‘Zé Colmeia’ fala sobre estreia de gala no UFC e traça planos para o futuro

No bate-papo em nosso canal do YouTube, Durinho começou falando sobre sua ascensão meteórica na divisão de meio-médios. Em apenas nove meses, ele venceu três adversários e agora terá pela frente o primeiro no ranking da divisão.

“Eu vinha trabalhando duro pra isso. No peso leve era difícil pegar as oportunidades (por conta do corte de peso). Mas quando eu subi de categoria é mais fácil para eu pegar qualquer oportunidade porque eu não preciso cortar muito peso. E isso foi abrindo as oportunidades para mim…. Eu já venho plantando a bastante tempo e agora eu estou começando a colher os frutos” disse.

Duelo  Tyron Wodley

Em seguida, Durinho analisou seu próximo rival: Tyron Woodley. O brasileiro fez a analise do rival, mostrou conhecimento dos pontos fortes e fraquezas do ex-campeão.

“Woodley é um cara muito forte, bem explosivo. Ele bate duro com a mão direita, tem um bom chute e foi um grande wrestling, mas hoje é um atleta de MMA. Hoje ele não usa tanto o wrestling como acho que poderia porque é um cara que gosta muito da trocação” disse Durinho, antes de diagnosticar uma fraqueza do rival “Mas ele tem um ponto fraco que é o gás (condicionamento  físico). Ele é um cara que luta dosando muito porque qualquer coisa que ele faz gasta energia”, completou.

O brasileiro analisou a possibilidade de ser derrubado pelo norte-americano, mas disse que gostaria de mostrar seu jiu-jitsu diante de Woodley, mesmo que por baixo no solo. “Ele tem um bom wrestling, mas não vem usando tanto enquanto eu tenho usado muito meu jiu-jitsu. Eu até acho que ele não vai querer me derrubar, mas seria um ponto interessantíssimo eu trabalhar por baixo”, completou.

Possível duelo contra o parceiro Kamaru Usman

Como duelo agendado diante do número um nos meio-médios, o próximo desafio teria que ser diante de Kamaru Usman, campeão da categoria e parceiro de treinos de Durinho. O brasileiro analisou a possibilidade e não mostrou desconforto com a chance de encarar o companheiro de time.

“Ele (Usman) já me ajudou para essa luta, nós treinamos bastante semana passada. A gente nunca falou sobre isso (possível luta pelo cinturão), nos temos o mesmo empresário…. Eu não lutaria com o Vicente (Luque) – outro parceiro de treinos e amigo pessoal -, não tem clima. Mas com o Kamaru sim, eu lutaria. É um parceiro de treinos, mas não é um amigo intimo”, disse.

Os desafios a Colby Covington

Em caso de vitória diante de Woodley, Durinho tem outro adversário em mente: Colby Covington. O brasileiro já desafiou o ex-campeão interino algumas vezes, mas o duelo nunca chegou a ser concretizado

“Eu quero lutar com ele, já falou um monte de besteiras. Se eu ganhar bem do Woodley, talvez, seja ele (Colby) antes do Kamaru Usman. Eu sei que é um cara duríssimo. Ele falou muito do Brasil, eu não tenho essa mágoa, mas vai ser maneiro enfiar a porrada nele, nocautear ou finalizar”, encerrou.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário