Jon Jones volta a reforçar pausa na carreira: ‘Não pretendo lutar tão cedo’

Campeão dos meio-pesados confirma ausência na organização enquanto não receber aumento em seu salário para se apresentar; atleta também defende melhores bosas a combatentes menos conhecidos

Campeão dos meio-pesados confirma ausência na organização enquanto não receber aumento em seu salário para se apresentar

Considerado por muitos como o melhor lutador de MMA de todos os tempos, Jon Jones está levando a sério a ideia de interromper a carreira por tempo indeterminado. Após entrar em conflito com a diretoria do UFC, o campeão dos meio-pesados (até 93kg.) reforçou que não irá voltar a se apresentar enquanto a quantia que recebe por combates seja revista.

Veja Também

Ex-estrela do WWE acusa Brock Lesnar de assédio sexual
Após derrota em estreia, Philipe Lins espera grande vitória neste sábado, pelo UFC Las Vegas 4
Durinho rebate Masvidal e se diz satisfeito com pagamento para enfrentar Usman

“Não pretendo lutar tão cedo. Não tenho interesse em me apresentar no UFC enquanto eu não receber o que acredito que mereço”, afirmou o norte-americano em entrevista ao podcast ‘Wild Ride’.

O impasse de ‘Bones’ com o Ultimate começou depois que o atleta teve negado o pedido para enfrentar o ‘gigante’ Francis Ngannou em uma superluta na divisão dos pesados (até 120,2kg.). Na ocasião, o presidente da organização, Dana White, criticou publicamente o valor pedido por Jones para a promoção do confronto, alegando que girava em torno de US$30 milhões (cerca de R$160,8 milhões).

Na ocasião, White chegou a afirmar que ser o melhor de todos os tempos não garante um pagamento tão alto. O ‘chefão’, então, ao rejeitar o desafio, afirmou que Jon deveria se manter em sua atual categoria, dar a revanche a Dominick Reyes ou enfrentar Jan Blachowicz, defendendo seu cinturão.

Irritado, Jones afirmou que pretende dar um tempo na carreira e pode atuar apenas em 2021, em um possível confronto contra o número um dos médios (até 83,9kg.), Israel Adesanya. Enquanto não se acerta com os chefes, ‘Bones’ tentou justificar o pedido de aumento.

“Não estou pedindo nada ultrajante. Sei que estamos em uma pandemia, e sei que quando você é multimilionário e está pedindo mais, isso faz você parecer uma pessoa gananciosa. Estou muito consciente de tudo isso, mas também estou muito consciente de que tenho a voz e a plataforma para fazer mudanças”, disse o norte-americano.

Aproveitando a deixa, o campeão dos meio-pesados tratou de sugerir um maior reconhecimento a outros atletas com menos prestígio dentro da organização. Segundo Jones, há lutadores que estão enfrentando situações de graves crises financeiras no período da pandemia.

“A maioria dos caras está em uma posição muito pior e não podem dizer publicamente: ‘Eu tenho um segundo emprego; peguei dinheiro emprestado com meus pais’. Eu conheço muitos atletas que estão morando na academia ‘Jackson Wink MMA’ (equipe de Jon), porque eles não têm condições de ter seu próprio apartamento. Eles são lutadores do UFC. Então, isso é triste”, finalizou ‘Bones’.

Jones não atua desde fevereiro deste ano, quando derrotou Reyes na decisão unânime dos juízes. O resultado do embate, no entanto, foi bastante criticado por parte dos fãs e imprensa especializada, que alegaram que Dominick foi o real vencedor do confronto.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments