Dustin Poirier relata como derrota para Conor McGregor salvou sua carreira no MMA

Ex-campeão interino dos leves afirma que revés para ‘Notório’, em 2014, o fez repensar sobre como lidar com as derrotas no esporte

D. Poirier em vitória pelo UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Poucos são os atletas que conseguem encerrar suas carreiras no MMA de forma invicta. Alguns, acabam se perdendo ao sofrerem um revés e jamais retornam a ser como eram. Dustin Poirier é um exemplo de como um lutador pode aprender diante de um resultado negativo e superar a adversidade. Em entrevista à ‘ESPN’, o norte-americano falou sobre o episódio em que foi batido por Conor McGregor, em 2014, e como foi lidar com a situação.

Veja Também

Vídeo: Khabib Nurmagomedov afia luta em pé em treinamento de boxe
Demian Maia elege luta mais emblemática da sua carreira no MMA
Treinador de Adesanya afirma que desconhece sobre TUF entre campeão e Borrachinha

“(Entender melhor a derrota) começou depois da derrota para Conor McGregor. Aquele foi o começo. Tem sido um longo processo. Ser um pai, perder de novo, ganhar uma, perder de novo e vencer outra. É uma longa evolução parar de se importar tanto. Você apenas para de ligar para o barulho”, disse o ‘Diamante’.

O encontro contra o irlandês aconteceu quando Dustin ainda atuava entre os penas (até 65,7kg.). Na ocasião, tanto ele quanto Conor promoveram muito a luta e chegaram a promover uma encarada muito tensa.

Na luta, McGregor foi superior e conseguiu um nocaute ainda no primeiro round. Uma vitória depois, o irlandês viria a conquistar o cinturão interino da divisão, contra Chad Mendes e, em seguida, chocaria o mundo ao bater José Aldo pelo título linear.

Ao perder para o ‘Notório’, Poirier voltou aos leves (até 70,3kg.) e iniciou sua trajetória que futuramente lhe renderia o cinturão interino da categoria. Foram 11 lutas, 9 vitórias, uma derrota e um confronto sem resultado até que o sonho de figurar no topo se tornasse realidade.

Para conseguir o feito, Dustin explicou que mudou, inclusive, a maneira com que administrava sua relação com a imprensa e fãs. Segundo ele, as notícias acabavam por colocá-lo em uma situação de pressão que era maléfica diante de uma derrota.

“Quando eu era mais jovem, eu pensava que era vida ou morte. Todos os comentários no Instagram e Twitter, cada jornalista que falava algo, eu pensava que estavam todos contra mim. Eu pensava que, se eu perdesse, seria o fim da minha carreira. ‘Serei um ‘bobão’, se eu perder esse confronto’. E aí você perde alguns compromissos e percebe: ‘Eu ainda posso me recuperar. Ainda estou cuidando da minha família. Ainda amo o que eu faço’. É como se você estivesse dobrado, mas não quebrado, na maioria das vezes. Eu sinto que me fez mais forte e me fez a pessoa que eu sou hoje. Eu sou feliz, de verdade”, finalizou.

Ao saber da fala do antigo rival, McGregor aproveitou e, de forma simples, mas objetiva, manifestou seu elogio ao norte-americano, que recentemente derrotou Dan Hooker em uma das lutas mais agitadas de 2020.

“Respeito”, escreveu Conor em resposta.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments