Empresário de Borrachinha afirma que Adesanya ‘correu’ de luta em 11 de julho

Wallid Ismail rebate declarações de técnico do campeão dos médios, Eurene Bareman, que afirmou recentemente que não houve propostas para a disputa de cinturão

P. Borrachinha (foto) em vitória pelo UFC. Foto: Reprodução/Twitter @ borrachinhaMMA

Responsável por agenciar a carreira de Paulo Borrachinha, Wallid Ismail rebateu as afirmações do técnico de Israel Adesanya, que afirmou que não houve propostas para a aguardada disputa do cinturão dos médios (até 83,9kg.). Em entrevista ao ‘Combate’, Ismail declarou que o UFC ofereceu um confronto em 11 de julho, pelo UFC 251, na ‘Ilha da Luta’, mas foi recusado pela equipe do nigeriano.

Veja Também

Pai e mentor de Khabib, Abdulmanap Nurmagomedov morre aos 57 anos, vítima de complicações da Covid-19
José Aldo critica Jon Jones por pedir aumento: ’Se não fosse o UFC, o que ele seria?’
Anderson Berinja testa positivo para Covid-19 e está fora de card do UFC na ‘Ilha da Luta’
Covid-19 tira mais dois brasileiros de combates na ‘Ilha da Luta’

“Esse treinador, que está se metendo a manager (empresário), está mentindo. Eu tenho a prova de que o UFC chamou o Adesanya para lutar dia 11 de julho, na ‘Ilha da Luta’. O Adesanya pediu mais tempo para treinar. Ele tem que entender que a mentira que conta lá na Austrália chega na mesma hora no Brasil, por conta da internet. Se ele acha que vai mentir lá e ninguém no Brasil vai ficar sabendo, está enganado. É facilmente desmascarado. Ele tem que ser mais inteligente e não mentir. Quando um treinador se mete a ser manager é sinal que a carreira do atleta está acabando. Eles estão colocando empecilhos para essa grande luta, que é a que todo mundo quer ver. É inacreditável o Adesanya escolher com quem quer lutar. Essa po*** não é videogame para escolher adversário”, disparou Wallid.

Ismail, então, afirmou que, depois de ter a primeira proposta rejeitada, enviou ao Ultimate outra data para que os pesos médios se encontrassem. O brasileiro, no entanto, contou que não sabe se a nova investida chegou aos ouvidos dos agentes de Israel.

“Após a recusa da equipe do Adesanya para 11 de julho, foi tentado o dia 15 de agosto, que eu não sei se o UFC falou com eles. Mas falaram do dia 11. Haverá três eventos de pay-per-view em setembro e outubro, e a luta entre Borrachinha e Adesanya vai ser em um desses cards. Não tem choro! É o primeiro do ranking da categoria contra o campeão. Se o Adesanya amarelar, que perca o cinturão e tragam outro para o Borrachinha. O campeão do UFC não pode ter medo”, finalizou.

Enquanto o confronto não é oficializado pelo UFC, Borrachinha segue registrando seus treinamentos em suas redes sociais. O lutador aguarda pela oportunidade de encarar o nigeriano desde sua vitória sobre Yoel Romero, em agosto do ano passado, que o colocou na condição de principal desafiante ao título.

A luta quase saiu do papel em 2020, mas uma lesão de Paulo acabou adiando o sonho do confronto. O brasileiro, agora, está pronto para uma das pelejas mais aguardadas dos últimos anos.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments