Caso conquiste cinturão dos galos, José Aldo quer defender título ainda em 2020

Brasileiro afirma que pretende se manter ativo no MMA e esclarece conquista pessoal, se derrotar Petr Yan neste sábado

J. Aldo em vitória pelo UFC. Foto: Reprodução/Instagram @ufcbrasil

Próximo da oportunidade de fazer história e conquistar um cinturão em uma segunda categoria no Ultimate, José Aldo quer mais. Escalado para enfrentar Petr Yan, neste sábado (11), pelo título vago dos galos (até 61,2kg.), o brasileiro afirmou que pretende se manter ativo na organização e, em caso de vitória, defender o cinturão ainda em 2020. Em coletiva pelo ‘Media Day’, realizada nesta quarta-feira (8), com participação do SUPER LUTAS, o atleta falou sobre os planos.

Veja Também

Holloway revela preparação apenas por vídeo-chamadas para revanche com Volkanovski: ‘Tenho experiência’
Jéssica Andrade revela mudança de estratégia para voltar a vencer Rose Namajunas: ‘Ela acha que me conhece’
Thiago Marreta oficializa retorno ao octógono e enfrenta Glover Teixeira em 12 de setembro

“Dando tudo certo no sábado, a gente vencendo, eu já quero fazer a defesa ou em outubro ou novembro”, cravou o brasileiro.

Para Aldo, o compromisso deste sábado terá um sabor especial. Além de mais uma oportunidade de figurar entre os campeões do UFC, o atleta enxerga o confronto como a possibilidade de fazer história dentro do MMA em geral. Ex-campeão dos penas (até 65,7kg.), o manauara disse que um triunfo o coloca entre os maiores nomes da história do esporte.

“Eu acho que devo estar entre os três melhores de todos os tempos”, afirmou o brasileiro que, em seguida, completou, dizendo quem completaria seu ranking. “Em primeiro, eu coloco o Georges (St.Pierre). Depois, posso colocar um ou outro, que é o Anderson (Silva), ou Jon Jones e depois vem eu”, afirmou Aldo.

Atuando entre os galos desde dezembro do ano passado, Aldo também falou sobre as negociações com seu técnico, Dedé Pederneiras, sobre qual divisão ele atuaria após decidir deixar os penas. O brasileiro confessou que a divisão até 61,2kg. não era sua prioridade.

“Eu tive uma reunião com o Dedé. Ele me falou que minha categoria certa era essa (galos). Eu falei que queria subir (para os leves – até 70,3kg.). Mas eu me adaptei muito bem. Para minha vida pessoal foi muito bom. Então eu não me arrependo de nada. Estou muito bem”, finalizou.

Neste final de semana, o ‘Campeão do Povo’ chegará à marca de 35 apresentações como profissional no MMA. O atleta soma 28 vitórias e seis derrotas em seu cartel.

Menos experiente, Yan chega para a luta com 15 lutas na carreira. Com apenas uma derrota na carreira, o russo soma 14 resultados positivos e não perdeu pelo UFC.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments