Herbert Burns analisa derrota no UFC 252 e mantém foco para chegar ao topo dos penas

Promessa brasileira para a categoria liderada por Alexander Volkanovski, niteroiense mostra maturidade ao falar do revés para Daniel Pineda e promete ajustes para retomar o caminho das vitórias

Depois de sofrer a primeira derrota desde sua estreia no Ultimate, Herbert Burns segue com a cabeça erguida. Após o revés sofrido para Daniel Pineda no UFC 252, o brasileiro analisa o confronto e mostra maturidade ao falar do resultado negativo. Em entrevista exclusiva ao canal no YouTube do SUPER LUTAS, a promessa dos penas (até 65,7kg.) falou sobre o embate e projetou os planos para o futuro.

Veja Também

Dominick Reyes sobre Jon Jones nos pesados: ‘Foi por minha causa’
Após dois anos longe do octógono, Thomas Almeida tem luta marcada para 10 de outubro
Frankie Edgar mira finalização contra Pedro Munhoz neste sábado: ‘Seria perfeito’

Herbert subiu no octógono no último dia 15 como um dos maiores favoritos de todo o card. Vindo de duas grandes atuações em 2020, Burns acabou não conseguindo impor seu ritmo e acabou nocauteado no segundo round pelo adversário no card principal.

Primeira derrota no UFC

Conhecido pelo seu jiu-jitsu de excelência e capacidade de encerrar seus confrontos antes da decisão dos juízes, o brasileiro não conseguiu repetir as atuações anteriores. Burns, no entanto, mostrou falou com tranquilidade sobre o revés e tentou explicar o que deu errado no confronto.

“A derrota faz parte do esporte. Não era o resultado que eu estava esperando, mas não tem nada que se envergonhar. A gente tem que aprender com os erros. Burro é quem fica repetindo o erro”, afirmou o brasileiro.

Falha no corte de peso

Um dia antes de trocar forças com Pineda, Herbert viveu um outro momento complicado. Na pesagem oficial para o UFC 252, o brasileiro acabou falhando no corte de peso e estourou o limite da categoria em 1,6kg. Burns falou sobre o momento atípico e revelou se o processo influenciou na sua performance.

“O corpo parou. Tiveram algumas coisas na dieta que estavam ‘agarrando’ meu peso. A gente teve que mudar a dieta várias vezes em um espaço curto de tempo. A gente começou a fazer a desidratação e o corpo agarrou muitas vezes. Muita dor nas costas, nos rins e, depois, comecei a ter muita câimbra. Foi sacrificante”, disse o niteroiense antes de completar: “acho que o peso influenciou muito. Como estava tendo câimbra, eu tive que ingerir muito líquido, então, recuperei mais peso do que eu gostaria. Fiquei muito inchado”, contou.

O que faltou para a vitória?

Contra Daniel, Herbert chegou à marca de três apresentações só em 2020. O combatente, porém, adiou os planos de se aproximar ainda mais do top 15 dos penas e avaliou o que precisaria para sair do evento com mais uma vitória no cartel.

“Tiveram alguns erros técnicos, mas acho que mais pelo lado físico. Tive a chance de conseguir um triângulo, mas faltou explosão física. Eu tinha gás para lutar até o terceiro round, mas faltava aquele ímpeto, aquela explosão física que normalmente eu tenho e é um diferencial meu, de manter posição. Perdi um katagatame, que eu estava encaixando na montada, perdi um triângulo no primeiro round, depois perdi as costas. São posições que normalmente são fatais comigo. Na luta, deixei três dessas escapar”, afirmou.

Próximo passo

Tratando a derrota como parte de um processo de evolução, Burns já está focado em se recuperar na organização. O brasileiro, no entanto, entende que precisa de um período de descanso para que possa se recuperar e, a partir daí, buscar um novo adversário.

“A gente ainda está em agosto. Acho que dá pra voltar lá para dezembro, novembro. Seria uma data boa, mas vamos ajustar tudo. Tem que estar 100% fisicamente, tem que ter um camp completo”, finalizou.

Atualmente com 32 anos, Herbert soma 14 lutas como profissional no MMA. O brasileiro tem 11 triunfos e três reveses.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments