Empresário de Borrachinha detona ‘sarrada’ de Adesanya: ‘Coisa de vagabundo, safado!’

Wallid Ismail condena postura do campeão do peso médio do UFC e confirma desejo de seu atleta por revanche

O clima entre P. Borrachinha (esq.) e I. Adesanya (dir.) segue quente. Foto: Reprodução/Facebook @ufc

O duelo entre Israel Adesanya e Paulo Borrachinha aconteceu no último sábado (26), mas a repercussão do duelo ainda gera muita polêmica. Depois do campeão do peso médio (83,9kg) nocautear e dar uma ‘sarrada’, Borrachinha ficou irritado com a postura do rival e seu empresário Wallid Ismail seguiu o mesmo caminho.

Em entrevista ao Combate.com, Wallid Ismail, empresário de Borrachinha, atacou o nigeriano. Um dos grandes nomes do jiu-jitsu brasileiro afirmou que Adesanya não tem honra, devido a postura que adotou, o xingou e garantiu que seu atleta não vai descansar até enfrentá-lo novamente.

Veja Também

Irritado com ‘sarrada’ de Adesanya, Borrachinha pede revanche: ‘Questão de honra’
Desafiado por Israel Adesanya, Jon Jones responde e provoca rival: ‘Você não quer me enfrentar’
Vídeo: Derrotado por Adesanya, Borrachinha manda recado aos fãs: ‘Erramos na estratégia’
Vídeo: Empresário de Borrachinha explica passividade do brasileiro contra Adesanya no UFC 253: ‘Foi o dia do cara’

“Foi uma guerra. Ele (Borrachinha) não lutou. Ele falou que não quer dar desculpa, ele quer a revanche, porque a gente acha que ele merece pela venda, pelos dois estarem invictos. Ele teve um problema, não dormiu no dia da pesagem, a estratégia foi errada. Ele ia para cima no terceiro, quarto e quinto rounds, mas era para ter ido desde o começo. Foi a primeira vez que quis fazer isso e não deu certo, mas ele está com muita vontade de revanche. Se não for revanche, quer lutar no mesmo dia do Adesanya. O foco dele é a revanche, porque aquilo que ele fez no final da luta foi desrespeito. Coisa de vagabundo, safado! Numa guerra, se você ganha, tem que respeitar. Vagabundo fez aquela graça e ele está revoltado com isso e quer essa revanche. Essa luta vendeu até o começo da luta mais do que McGregor e Khabib. Tem tudo para bater recorde de vendas. Ele está revoltado. Isso que deixou ele louco. Ele está muito chateado com isso e quer essa luta, essa revanche, porque ele merece por tudo que fez dentro do UFC. Ele achou que o cara foi um m**** de ter feito isso. No final, a luta acabou e fazer aquilo? É o fim do mundo. Não tem honra nenhuma. O Adesanya não tem honra, mas tudo bem, vamos sair na porrada de novo. Os dois eram invictos”, disse Wallid.

O empresário defendeu Borrachinha e revelou o que aconteceu para o brasileiro ter apresentado um desempeno abaixo do esperado.

“Ele não quer que eu fale, mas se você vir a perna dele, 10h da noite o médico do UFC estava no quarto dele, porque estava dando cãibra na panturrilha dele. Se olhar, a panturrilha dele estava cheia de ventosa. Ele não dormiu para a luta. E outra coisa: mais de um ano sem lutar. Vários fatores. Não teve uma performance, não dá pra explicar, não sabe se estava sonolento. Imagina você não dormir por mais de 24 horas. Pode perguntar a qualquer pessoa que fique 24 horas sem dormir o que acontece. A gente não quer falar sobre isso, ele até me pediu: “Só fala para as pessoas que vou voltar mais forte, fala para quem é aliado que vou voltar mais forte e ser campeão”. E porque o Adesanya lutou bem também. A gente não quer tirar o mérito dele, mas também não quer… Aquilo que ele fez no final foi o fim do mundo. O Borrachinha quer realmente bater no Adesanya. Ele falou: “Wallid, esse é o foco da minha vida. Se não me derem a revanche, me bote para lutar no mesmo dia que ele for lutar, porque se o cara que for lutar com ele cair, eu luto com ele”. O Adesanya deve lutar de novo em janeiro ou fevereiro. Essa é a data que a gente quer. Janeiro ou fevereiro para a volta dele”, explicou.

Wallid também criticou o comportamento de alguns fãs, que estão atacando o brasileiro e, novamente, informou que Borrachinha está com tanta vontade de realizar a revanche contra Adesanya, que até adiou o planejamento de lutar no peso meio-pesado (93kg).

“Ele está muito chateado, as pessoas não entendem. Um bocado de vagabundo falando besteira, mas não estamos nem aí. Escutamos os aliados que sabem o valor do Borrachinha. Esse cara é fenômeno, só que não foi o dia dele. Nem gosto de falar isso. Essa p*** de não dormir… Ele falou: “Não dá desculpa, só fala que vou voltar mais forte do que nunca. Queria subir para 93kg, mas meu foco agora é o 84kg”. Desistiu por causa do Adesanya, ele quer o Adesanya. Ele falou: “É pessoal, coisa de honra”. Porque o que ele fez é coisa de vagabundo, safado, sem vergonha. Coisa de pilantra. Então ele tem que pagar. Tem que ir pra guerra. Ele fala: “Estou revoltado porque não lutei”. Ninguém esperava. Foi uma loucura. Foi um erro. Foi o seguinte: quando começou a chutar, era a guerra. Deu dois minutos, o cara em vantagem, agora é a guerra. É tudo ou nada. Perde de um ou perde de mil. Quem perde de um, perde de mil. É difícil explicar. Ele está mais p*** do que qualquer um, mas com uma vontade gigante”, finalizou.

O nocaute aplicado por Israel Adesanya representou a primeira derrota da carreira de Paulo Borrachinha. Anteriormente, o brasileiro havia impressionado ao nocautear Uriah Hall, Johny Hendricks, Oluwale Bamgbose, Gareth McLellan e por ter travado uma guerra contra Yoel Romero. Após o revés, o mineiro garantiu que será mais ativo no octógono.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments