'Engasgado' com derrota para Gane, Cigano pede revanche ao UFC: 'É o mínimo' | SUPER LUTAS

‘Engasgado’ com derrota para Gane, Cigano pede revanche ao UFC: ‘É o mínimo’

Batido pelo francês em dezembro, brasileiro volta a criticar golpe ilegal, que alega ter sido determinante para o resultado

J. Cigano (esq.) pede revanche contra C. Gane (dir.). Foto: Reprodução/Instagram

Em fase complicada na carreira, Júnior Cigano segue engasgado com sua última derrota com as luvas do Ultimate. Batido por Ciryl Gane em uma das lutas principais do UFC 256, o ex-campeão dos pesados (até 120,2kg.) voltou a criticar um golpe ilegal aplicado pelo francês, que, segundo ele, foi providencial para o nocaute no segundo round. Em entrevista ao ‘Combate’, o catarinense falou sobre o assunto e pediu uma revanche contra o algoz.

Veja Também

“Foi um absurdo, foi um golpe claramente ilegal e que deixou de ser ilegal devido talvez à minha situação ou porque ele é um cara que está chegando com grande potencial, chamando bastante atenção. Eu estava vindo de três derrotas, ou seja, é um golpe ilegal, mas não é aquele ilegal”, disparou o brasileiro.

Disposto a acertar as contas com o francês, Cigano pediu que o UFC promova uma revanche contra seu último rival. Para o catarinense, um novo confronto é uma maneira justa para que a situação seja resolvida.

“É o mínimo que podem fazer. O UFC sabe que eu não peço luta, mas essa eu quero. Vamos fazer as coisas do jeito certo. Por favor, remarquem essa luta. Me deixem lutar com ele de novo”, solicitou o ex-campeão.

Experiente no MMA, com 30 lutas como profissional, Júnior aproveitou a oportunidade para criticar parte da equipe do Ultimate, que não enxergaram ilegalidade no golpe de Ciryl. O brasileiro afirma que integrantes da mídia têm responsabilidade com a informação e, por isso, o caso deveria ter sido avaliado com mais cuidado.

“Uma das coisas que mais machucou foram os caras do esporte, o próprio Dana White, Daniel Cormier, vários outros do UFC ou atletas, concordando com isso. Esses caras têm voz, estão na mídia, falam o que querem e o pessoal leigo normalmente acompanha a história. Ninguém discute que o golpe foi ilegal, o que eles discutindo é que foi culpa minha, não do cara. Perceba que ninguém diz que não foi ilegal. O golpe foi ilegal, mas só teria sido ilegal por minha causa. É isso que eles dizem. É o que todos esses caras falam, inclusive o Dana White”, contou.

Por fim, Cigano pediu que o resultado do duelo seja alterado para ‘no contest’. O brasileiro, no entanto, entende que a mudança, além da revanche, é uma forma de tornar justa uma situação atípica no octógono.

“O que vai mudar? Não vai mudar nada. O cara vai continuar a carreira dele, já tem a próxima luta marcada, está tudo andando na vida dele. A única coisa que pode acontecer é a luta virar “no contest”. Ou seja, não muda nada. Eu não entendo”, finalizou.

Considerado uma das promessas para o futuro dos pesados, Gane tem confronto confirmado contra Jairzinho Rozenstruik. De olho em uma disputa de cinturão, os gigantes trocam forças em 27 de fevereiro.

Considerado um dos melhores pesos pesados da história, Cigano, hoje, amarga o pior momento em sua carreira. O atleta vem de quatro derrotas por nocaute em sequência e corre risco de ser dispensado da organização.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments