Mesmo fora do UFC, Cigano apela à Comissão Atlética e tenta anular nocaute sofrido contra Gane

Dispensado pelo Ultimate em março, brasileiro busca reversão do resultado junto à entidade de Nevada; atleta reclama de cotovelada ilegal

J. Cigano foi derrotado por C. Gane no UFC 256. Foto: Reprodução/Instagram

Mesmo dispensado pelo UFC no início de março, Júnior Cigano segue buscando justiça. Tentando anular o nocaute sofrido para Ciryl Gane em dezembro de 2020, no qual o brasileiro acusa o rival de ter se aproximado da vitória com uma cotovelada ilegal, o pesado (até 120,2kg.) apelou à Comissão Atlética de Nevada para reavaliar o caso. A informação foi divulgada pelo ‘MMA Fighting’.

PUBLICIDADE:

Veja Também

De acordo com o site norte-americano, a entidade busca mais informações para o recurso criado em janeiro. A advogada do lutador, Ana Guedes, então, enviou um novo documento em 17 de março, semanas depois da demissão do ex-campeão.

De acordo com a defesa do catarinense, o árbitro do confronto, Jerin Valel, foi determinante para o desfecho do duelo. Segundo Ana, o golpe ilegal – de acordo com o atleta – foi visto pelo condutor do confronto e uma penalização deveria ter acontecido contra o francês. A ação não foi tomada e, após uma sequência de ataques desferidos pro Ciryl, o nocaute acabou consolidado.

PUBLICIDADE:

Para reforçar o argumento, Guedes enviou uma carta à Comissão expondo o regulamento previsto para lutas oficiais. Nele, o documento expõe que a nuca – região onde a defesa acusa ter sido o ataque – é um ponto de risco sendo, então, proibidos ataques de tal natureza. Junto ao texto, foram anexadas imagens exibindo o momento do golpe proferido pelo francês.

O confronto entre Júnior e Gane acabou marcando a despedida do ex-campeão dos pesados no Ultimate. Cigano, que vinha de três derrotas consecutivas, não resistiu a mais um resultado negativo e foi demitido da empresa, que defendia desde 2008.

PUBLICIDADE:

Veja o nocaute sofrido por Cigano no UFC 256

 

PUBLICIDADE:

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS


Comentários

Deixe um comentário