VÍDEO: Perto de enfrentar Woodley, Vicente Luque prega respeito ao veterano e analisa 'luta da vida' no UFC 260 | SUPER LUTAS

VÍDEO: Perto de enfrentar Woodley, Vicente Luque prega respeito ao veterano e analisa ‘luta da vida’ no UFC 260

Em conversa com o SUPER LUTAS, brasileiro, que enfrenta ex-campeão dos meio-médios neste sábado, fala do confronto e vê oportunidade de se aproximar do top 5

Representante brasileiro no UFC 260, que acontece no dia 27, Vicente Luque está próximo da luta mais importante de sua carreira, até o momento. Atleta do meio-médio (até 77kg.), o tupiniquim dividirá o octógono com Tyron Woodley e não esconde a empolgação de se testar contra o ex-campeão da divisão. Em entrevista exclusiva ao canal no YouTube do SUPER LUTAS, a promessa pregou respeito ao ex-campeão do grupo e analisou o confronto.

Veja Também

Considerado um dos xodós brasileiros na divisão liderada por Kamaru Usman, Luque tem ganhado cada vez mais visibilidade no Ultimate por sua forma agressiva de conduzir seus confrontos. Neste fim de semana, o atleta terá um teste de fogo, que será importante para definir seu futuro na divisão.

Cuidado com o ex-campeão

Embora esteja trocando forças contra um atleta que não vive o melhor momento de sua carreira, Vicente é realista quanto as qualidades do rival no octógono. Assim, o tupiniquim avaliou os pontos fortes e fracos do norte-americano, que precisa vencer para não se complicar ainda mais na organização.

“Acho que ele tem um wrestling melhor que o meu. É a origem dele, fez isso desde criança, não tem como comparar. Aquela (mão) direita dele, tem que ficar ligado, respeitar. Não acho que tem que ser a preocupação da luta, eu tenho que soltar meu jogo em pé, mas estar ligado na direita, que, se entrar, pode dar problema para qualquer um”, disse Luque.

Vantagens sobre Woodley

Chamado de ‘Assassino Silencioso’ no meio do MMA, Vicente tem motivos de sobra para estar confiante em um grande desempenho contra um dos maiores nomes da história da categoria. O brasileiro, assim, listou as vantagens que pode tirar assim que o gongo soar para o confronto, que marca a luta co-principal.

“Quando a gente fala de trocação, em questão técnica, acho que eu tenho uma vantagem. No chão, também acho que sou mais afiado. Acho que vai ser muito de quem vai conseguir impor a estratégia. Meu jogo vai ser anular ele, tanto em pé, como no chão. (…) Vou mostrar meu jogo, trocação e, se a luta for para o chão, buscar a finalização, o ground and pound (quando o atleta golpeia o rival no chão), que acho que são coisas que eu tenho fortes, não mostro tanto, mas, quando precisa, gosto de usar”, afirmou.

Desfecho ideal

Famoso por não deixar suas lutas serem decididas pelos juízes, Luque não quer fugir de sua característica no confronto mais importante de sua carreira. Contra o ex-campeão, o brasileiro afirma que buscará encerrar o duelo antes dos três rounds previstos no espetáculo deste sábado.

“Eu vejo um nocaute ou finalização. Sempre que vou lutar, vejo isso. Quando vejo uma brecha para acabar, eu aproveito. Pode ser que não acabe, mas não tem problema. (…) É o meu estilo. Não deixo as oportunidades passarem. Se o cara aguentar a investida, a luta vai continuar. Se não, vai acabar ali. Então, acredito muito que o confronto acabe antes dos três rounds. (…) Vejo uma luta dura. O Woodley era o campeão. Está vindo de três derrotas, mas, de forma alguma, vou subestimar. (…) Ele vai querer vir para provar que ele ainda é o Woodley que era o campeão e vou lá para acabar com esse cara”, disse o brasileiro.

Próximos passos

Atual número 10 nos meio-médios, Luque entende que tem uma oportunidade de ouro de entrar no radar do Ultimate para uma futura disputa de cinturão. Para isso, uma grande apresentação sobre Tyron é fundamental. Prevendo um resultado positivo, então, o combatente analisou os próximos passos na categoria.

“Com certeza, vou mirar um top 5. (…) Uma grande vitória contra o Woodley me colocaria com o direito de pedir alguém no top 5”, encerrou.

Histórico dos atletas

Com 29 anos, Vicente chegará à sua 28ª apresentação como profissional no MMA. Vindo de dois resultados positivos em sequência, o brasileiro, hoje, soma 19 triunfos, sete derrotas e um empate no esporte.

Campeão dos meio-médios entre 2016 e 2019, Tyron não vence um confronto desde o triunfo sobre Stephen Thompson, há mais de dois anos. Aos 38 anos, o norte-americano quer provar que ainda é capaz de atuar em alto nível e chegar à 20ª vitória no MMA. Hoje, o combatente tem 19 resultados positivos, seis negativos e um empate.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments