Podcast #41

Aldo renasce nos galos; campeões, Do Bronx e Amanda Nunes vencem no UFC 269?

Às vésperas do UFC Vegas 38, Marreta analisa combate e vê brechas no jogo de Walker: ‘Ele se expõe demais’

Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, atleta revela que está motivado para voltar a vencer e acredita que duelo diante do compatriota não dura cinco rounds

Em fase ‘inédita’ na carreira, Thiago Marreta mede forças contra Johnny Walker no próximo sábado (2), na luta principal do UFC Las Vegas 38. O atleta vem de três derrotas seguidas e visa reencontrar o caminho dos triunfos para recuperar sua confiança na categoria dos meio-pesados (até 93kg.).

PUBLICIDADE:

Veja Também

Em entrevista exclusiva ao canal do SUPER LUTAS no YouTube, Marreta revelou estar confiante depois de passar por momento de lesões e desconfiança. Ele, inclusive, destacou que sentiu a ‘falta de ritmo’ em suas últimas apresentações, mas se diz focado e motivado para o confronto diante de Walker.

“É um momento que eu ainda não tinha vivido – três derrotas seguidas. Mas eu tenho uma cabeça super boa. Eu entendo o que aconteceu comigo. Foi uma lesão muito grave que eu tive e é normal você não voltar 100%. Eu fiquei muito tempo parado e as minhas lutas (serviram) como parte da minha preparação e voltar ao ritmo. Então, essa falta de ritmo eu senti demais e estou me sentindo muito bem. Tenho certeza que, para essa luta, vou estar muito melhor do que as lutas passadas”, disse Thiago Marreta.

PUBLICIDADE:

Questionado sobre a análise de Walker, Marreta também tratou de responder uma provocação do compatriota, que revelou ter ‘total conhecimento’ de seu jogo. Para o carioca, ele ainda tem algo inédito para mostrar e revelou que tem recursos para surpreender seu adversário.

“Eu acho que ele está errado, pois você só deixa de aprender quando você morre. Vou estar velho e aprendendo, seja na teoria ou na prática. Eu gosto de aprender, tenho uma mente muito aberta e acho que ele está errado no que está falando. (…) talvez eu tenha algo que eu já sabia e ainda não tenha feito no octógono. Então, ele pode se surpreender a qualquer momento. Se ele acha que não pode vir nada novo, está enganado”, destacou o atleta.

PUBLICIDADE:

‘Ele se expõe demais’

Com tudo certo para o evento do UFC Las Vegas 38, Thiago Marreta não escondeu a estratégia para derrotar Johnny Walker. Ele entende que seu oponente tem brechas em seu jogo e ‘narra’ como entende que o duelo pode correr.

PUBLICIDADE:

“Ele vai com tudo, vai para o nocaute. Às vezes dá certo, mas pode dar errado também. Ele se expõe demais. Eu vejo muitas brechas onde um golpe pode entrar – seja uma mão ou um chute – e estamos trabalhando nisso. Vamos tentar capitalizar (…) Os dois vão para o meio do octógono, ele vai tentar vir mais agressivo e eu estarei bem atento, como um sniper, vendo as brechas para conectar um golpe meu, forte, e tentar ‘liquidar a fatura’. (…) são dois caras nocauteadores, que vão para terminar a luta. A gente nunca sabe, mas tem grandes chances de essa luta não durar cinco rounds” analisou, antes de acrescentar.

“O Walker é imprevisível. Não tem uma coisa que eu possa falar, pois ele faz coisas que podem surpreender a qualquer momento. São coisas que é difícil de você falar. Então, eu tenho que estar com um aspecto defensivo bem atento, com a ‘antena ligada’, porque a qualquer momento pode vir um golpe estranho desse”, concluiu.

Provocar é desrespeitar?

Com um estilo calmo e pouco adepto ao trash talk, Marreta deu sua opinião sobre o estilo de Johnny Walker. O brasileiro acha válida a ‘provocação’ para promoção de um duelo, desde que tenha um respeito envolvido. Entretanto, ele ressalta que os fãs tupiniquins ainda não aceitam a ideia de se promover com palavras.

“O brasileiro vem de uma cultura da arte-marcial, mais séria. O norte-americano vem do show, do business. Então, o brasileiro não aceita muito e tende a pegar tudo como desrespeito. Eu já tenho uma mente mais aberta. As pessoas me marcaram em um vídeo que ele postou quebrando uma marreta e o brasileiro já pega como um desrespeito. Mas eu acho válido para a promoção da luta, desde que você saiba fazer um trash talk dentro do respeito, eu não vejo problema”, finalizou.

Histórico dos atletas

Com três derrotas seguidas, Thiago Marreta tenta trilhar outro rumo na categoria dos meio-pesados (até 93kg.). Em seu cartel, são 21 triunfos e nove reveses. Por outro lado, Johnny Walker deseja emplacar sua segunda vitória em série e, agora, tem um retrospecto de 18 resultados positivos e cinco negativos.

Podcast #41: José Aldo de volta ao topo + Charles do Bronx e Amanda Nunes no UFC 269