Dominick Reyes quebra o silêncio e relembra momentos dramáticos em ‘guerra’ contra Jiri Prochazka

Norte-americano reflete sobre derrota e diz que 'tirou lições' para sua carreira na luta principal do UFC Vegas 25

J. Prochazka (esq.) atropelou D. Reyes (dir.) no UFC Las Vegas 25. Foto: Reprodução/Instagram

Cerca de cinco meses depois de perder para Jiri Prochazka, Dominick Reyes quebrou o silêncio sobre o duelo. Na edição do UFC Las Vegas 25, o norte-americano reviveu a ‘guerra’ sobre o tcheco e relembrou a experiência no octógono do Ultimate.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Em entrevista ao ‘Fanatics View’, Reyes afirmou que a recuperação do combate foi dolorida e considera que o duelo foi ‘selvagem e brutal’. Inclusive, ele avaliou a situação, tendo admitido que poderia fazer diferente.

“Estou aqui fazendo alguns ajustes (em meu jogo) e me divertindo com isso. Tirei um bom tempo de folga, pois foi uma luta selvagem e brutal. Somos meio-pesados, então cada soco tira muito mais de você, demorou um pouco para curar e agora estou aqui treinando. Foi bom. Obviamente não saiu do meu jeito e eu poderia ter feito algo diferente, mas faz parte do processo”, disse Reyes.

PUBLICIDADE:

Apesar da derrota, Dominick prefere ver o ‘lado bom’, crê em uma evolução após o combate e que tenha se provado como um lutador que pode se manter firme, mesmo estando ferido em eventuais apresentações futuras.

“Foi uma grande luta pra eu construir meu legado por ter aquelas lutas malucas, aquelas lutas duras onde parece que estou finalizado, mas sigo lutando. Era importante para provar a mim mesmo que acho que entendi. Ainda estou disposto a ir lá e ‘pular no fogo’, provei isso a mim mesmo naquela luta”, concluiu o atleta.

PUBLICIDADE:

Profissional desde 2014, Dominick Reyes conseguiu atrair aos olhares dos amantes de MMA ao engatar uma sequência de 12 trinufos seguidos, além de fazer uma luta equilibrada contra o ex-campeão dos meio-pesados (até 93kg.) Jon Jones. Ainda assim, depois da primeira derrota, ele tropeçou com dois nocautes seguidos, diante de Jan Blachowicz e Jiri Prochazka.

PUBLICIDADE:

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS