Após ser expulso, Jon Jones agradece apoio de equipe em sua carreira e lamenta: ‘É doloroso’

Depois de ser acusado de suposta violência doméstica, 'Bones' foi expulso da academia 'Jackson Wink MMA' e se manifestou sobre o assunto

J. Jones (foto) não se apresenta profissionalmente desde fevereiro de 2020. Foto: Reprodução/Instagram @jonnybones

Ex-campeão dos meio-pesados (até 93kg.) do Ultimate, Jon Jones foi expulso de sua academia, Jackson Wink MMA, depois de ser preso sob acusação de violência doméstica, lesão corporal e violação de veículo. Por meio de suas redes sociais, o ‘Bones’ lamentou sua saída e agradeceu à equipe por toda contribuição em sua carreira nas artes marciais mistas.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Tive uma conversa comovente por telefone com um de meus treinadores de longa data ontem à noite. É realmente doloroso perder o apoio de alguém que eu tanto respeito. Sincero obrigado aos demais treinadores por permanecerem na luta comigo. Nossa jornada continua”, escreveu Jones em seu ‘Twitter’ oficial.

O rompimento de Jon Jones com a ‘Jackson Wink MMA’ foi confirmado por um dos donos da academia, Mike Winkeljohn. Segundo ele, o norte-americano pode voltar à equipe no futuro, desde que se recupere de seus problemas frequentes com a bebida. Ele ainda diz que espera acompanhar pelo ‘ressurgimento’ da lenda, caso ele retorne a carreira.

PUBLICIDADE:

Envolvido em nova polêmica em sua vida, Jones ainda está com futuro indefinido no Ultimate. O atleta, que não pisa no octógono desde fevereiro de 2020, se preparava para fazer sua estreia nos pesados (até 120,2kg.).

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS