Relembre grandes eventos que encerraram a temporada do UFC nos últimos anos

Para começar a despedida de 2021, o SUPER LUTAS lembra o leitor de grandes eventos da história da empresa que foram responsáveis por finalizar o ano de combates

C. Weidman e A. Silva estrelaram o UFC 268 Foto: Divulgação/UFC

O UFC Las Vegas 45 desse sábado (18), marcará o encerramento da temporada de lutas do Ultimate. Se o card, dessa vez, não é do mais estrelados, ao longo dos anos a organização já agendou grandes duelos para o seu último evento. Para iniciar a despedida de 2021, o  SUPER LUTAS fez uma retrospectiva e relembrou alguns dos shows históricos que finalizaram o ano da empresa.

PUBLICIDADE:

LEIA MAIS: UFC retorna ao Brasil com evento no Rio de Janeiro em maio, diz site

Veja Também

1-  UFC 168 – 28/12/2013

Após sete anos de reinado na divisão dos médios (até 83,9kg), Anderson Silva foi destronado pelo jovem Chris Weidman em julho de 2016. Pouco mais de cinco meses após o impiedoso nocaute, o ‘Spider’ conseguia a sua sonhada revanche contra o norte-americano. No UFC 268, que aconteceu no dia 28 de dezembro daquele mesmo ano, o brasileiro teve um início complicado e durante a segunda parcial tentou um chute baixo no ‘All American’ que apenas se defendeu. O atleta tupiniquim fraturou a canela no mesmo instante e não conseguiu colocar o pé no chão em uma lesão que assustou quem acompanhava a luta ao vivo. Anderson sofria o segundo revés seguido e nunca mais disputaria o cinturão dos médios novamente.

PUBLICIDADE:

Na luta co-principal, a campeã dos galos Ronda Rousey fazia sua segunda defesa do cinturão dos galos (até 61,2kg) diante da sua rival Miesha Tate. Após uma preparação cercada de provocações entre as duas atletas, a campeã manteve o seu reinado ao finalizar a desafiante com a sua tradicional chave de braço no terceiro round e seguir com o seu então cartel invicto de oito vitórias.

2 – UFC 207 – 30/12/2016

A. Nunes (dir) acerta R. Rousey (esq) com um soco Foto: Facebook/UFC

PUBLICIDADE:

A luta principal do UFC 207 marcou o retorno da lenda Ronda Rousey ao octógono após a surpreendente derrota para Holly Holm. Diante da norte-americana, estava a nova campeã dos galos Amanda Nunes, que havia tomado posse do cinturão poucos meses antes. Chateada por ter sido ‘esnobada’ durante toda a semana da luta, a brasileira entrou com raiva no octógono e nocauteou a ex-judoca em menos de um minuto.

PUBLICIDADE:

Na segunda luta mais importante da noite, Dominick Cruz fazia sua primeira defesa do título dos galos após a reconquista do trono. Diante do ‘Dominador’, estava o prospecto Cody Garbrandt invicto até então. Com o soar do gongo, o desafiante chocou ao mundo ao dar um show contra o líder da categoria durante 25 minutos e conquistar o cinturão da divisão até 61,2kg.

3 – UFC 92 – 27/12/2008

R. Minotauro e F. Mir se enfrentaram no UFC 92 Foto: Divulgação/UFC

O MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas (EUA) sediou o último da temporada 2008 do Ultimate. O campeão interino dos pesados (até 120,2kg) era o brasileiro Rodrigo Minotauro, que iria defender o seu título provisório diante de Frank Mir no UFC 92. O atleta tupiniquim não estava em uma grande noite e sucumbiu para o norte-americano por nocaute no segundo round. Foi a primeira derrota da lenda do MMA pela via rápida na sua carreira.

Na luta principal do evento, o campeão dos meio-pesados (até 93kg) Forrest Griffin diante do então prospecto invicto Rashad Evans. O campeão da segunda temporada do ‘The Ultimate Fighter’ chegou ao auge da sua carreira ao nocautear o líder da divisão no terceiro round e assumir o reinado nessa faixa de peso. O card também contou com a luta entre os provocadores Rampage Jackson e Wanderlei Silva, que também terminou com um nocaute do norte-americano na terceira parcial.

4 – UFC 66 – 30/12/2006

C. Liddell e T. Ortiz construíram uma grande rivalidade no Ultimate Foto: UFC

Considerada uma das maiores rivalidades da história das artes marciais mistas, o duelo entre Chuck Liddell e Tito Ortiz teve a sua segunda batalha no UFC 66, que ocorreu em dezembro de 2006. Com mais uma preparação cercada de polêmicas e provocações, o desfecho foi bastante parecido com o do primeiro confronto. Dessa vez com o cinturão dos meio-pesados em jogo, o ‘Iceman‘ não deu chances ao ‘bad boy‘ e venceu com um belo nocaute no terceiro round.

5 – UFC 232 – 29/12/2018

Cyborg (Esq.) foi batida por Amanda (dir.) no UFC 232. Foto: Reprodução / YouTube @ufc

Para fechar a temporada de 2018, o Ultimate colocou frente a frente duas das maiores atletas da história do MMA feminino. Em combate válido pelo cinturão peso pena (até 65,7kg), a então campeã Cris Cyborg mediu forças contra a líder dos galos Amanda Nunes. A ‘Leoa’ foi mais uma vez impiedosa, nocauteou a veterana com menos de um minuto de luta e se tornou a primeira atleta feminina da história da organização a se tornar campeã de duas categorias.

Na luta principal do espetáculo, a aguardada revanche entre Jon Jones e Alexander Gustafsson finalmente saía do papel. Dentro do octógono, diferente do primeiro combate, o confronto não empolgou tanto os fãs. Com um nocaute no terceiro round, o ‘Bones’ derrotou o sueco novamente e se manteve como campeão absoluto dos meio-pesados.

 

Podcast #45: Volkanovksi sem desafiante e brasileiros no 1º UFC do ano