Em longo desabafo, Khabib explica por que acredita que tempo de Poirier no MMA chegou ao fim

Lenda do peso leve, russo analisa situação do norte-americano, recém derrotado por Charles do Bronx em disputa de cinturão

K. Nurmagomedov (esq.) em encarada com D. Poirier (dir.). Foto: Reprodução/YouTube UFC

Desde que abandonou o MMA de forma invicta, em outubro de 2020, Khabib Nurmagomedov tem se tornado uma espécie de analista de atletas. Mesmo desagradando uns e outros, o russo não deixa de dar seus ‘pitacos’. Desta vez, o ex-campeão dos leves (até 70,3kg.) decidiu falar sobre a situação de Dustin Poirier, recentemente derrotado por Charles do Bronx. Para o ‘Águia’, a situação não é otimista.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Usman cinturão UFC 269

“Acredito que cada pessoa tenha recursos. Quando um homem inicia um novo negócio, no começo ele está com tudo, caminhando, e seu negócio está evoluindo. No entanto, chega um momento em que isso acaba. Ele quer levantar recursos para começar outra coisa. A vida é assim. No começo você pensa que fará algo pela vida toda, mas chega um momento que você se perde um pouco e busca outras coisas”, disse Khabib, em coletiva de imprensa, com trecho transcrito pelo ‘BJPenn.com’.

Com o pensamento exposto, Nurmagomedov trouxe a situação descrita para o mundo das artes marciais. Segundo o ex-campeão, a ideia pode ser relacionada com a vida de um lutador.

PUBLICIDADE:

“Pode acontecer com um lutador. Você tem um fogo, fome, quando quer muito. Depois, têm momentos que você quer, mas não tanto. Isso acontece quando o fogo apaga, mas ainda há números em um contrato. Você pensa: ‘espere, posso ganhar dinheiro em uma luta”, descreveu o russo.

Adversário de Poirier em 2019, Khabib, que sempre teve uma boa relação com o norte-americano, seguiu analisando a situação de Dustin. Atento à coletiva do ‘Diamante’ depois de sua derrota para Do Bronx, o russo palpitou sobre o momento do antigo adversário.

PUBLICIDADE:

“Depois da luta, ele (Poirier) disse que precisava pensar. Precisa mesmo? Se esses pensamentos chegam à cabeça, significa que ele vai vencer, mas quem também vai perder. Ele não irá até o final com tudo o que for necessário. Têm horas que você olha para um atleta e percebe o quão rápido ele muda. Digo isso para meus amigos. Existe um momento que você precisa seguir ativo e lutando. Se isso se desliga, ele nunca voltará. Acho que seu ‘interruptor’ foi desligado”, sugeriu.

PUBLICIDADE:

Para Khabib, o universo das lutas é um ciclo inacabado. Apontando nomes históricos, a lenda dos leves falou sobre as mudanças e cada nova realidade.

“A hora chega. Existia Frankie Edgar, Benson Henderson, (Anthony) Pettis antes de mim. Depois, veio Conor (McGregor). Nenhum ficou, todos saíram. Agora, é a hora do Charles Oliveira (Do Bronx). Agora, é a hora de Islam (Makhachev), Beneil (Dariush), Justin (Gaethje) Charles. Eles lutarão agora e, depois, eles também vão sair. Outros virão. Ninguém consegue controlar isso e ninguém pode parar isso. O tempo passa. Acho que é simples. Charles foi melhor (do que Poirier). Mais tarde, alguém chegará e o derrotará. Ele sairá, depois, vamos falar sobre outro. É um carrossel que nunca irá parar”, encerrou.

Em 2021, Dustin Poirier realizou três apresentações. Em janeiro e em julho, o norte-americano subiu no octógono pra uma disputa histórica contra Conor McGregor. Nas duas ocasiões, o ‘Diamante’ saiu vencedor por nocaute.

No terceiro compromisso, no entanto, a queda. Favorito contra o campeão Charles do Bronx, o atleta não foi capaz de superar o brasileiro, que conquistou a primeira defesa de título ao finalizar o norte-americano.

Podcast #46: Aquecimento para o UFC 270 com duas disputas de cinturão + Amanda Nunes fora da ATT e Jake Paul rico