AO VIVO

Assista à coletiva pós-UFC 276 com Adesanya, Poatan e mais

Pego no exame antidoping, Carlos Boi nega ter feito uso de substâncias proibidas

Em declaração dada em seu Instagram, o peso pesado se defendeu das acusações e suspeitou do resultado positivo dado pela Comissão Atlética de Nevada

C.Boi foi suspenso, após ser pego no exame antidoping. Foto/Reprodução: Instagram

Suspenso novamente por doping, dessa vez pela Comissão Atlética de Nevada, o peso pesado (até 120,2kg) Carlos Boi se defendeu da punição. Em declaração em seu Instagram, o lutador baiano negou o uso de qualquer substância ilegal, duvidou do resultado positivo do seu teste e revelou que o custo alto para a sua defesa o fez aceitar a punição sem qualquer contestação.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Como todo mundo sabe, fui pego no doping por uma substância chamada ‘Boldenone’. Estou aqui para dizer que tenho plena consciência que não fiz uso de nada, tenho testes da USADA. Quem não sabe, a USADA é o principal órgão regulamentador do antidoping no UFC. Inclusive, cerca de 20 dias antes da luta fiz o teste e deu totalmente limpo; cerca de 20 dias depois fiz outro teste e deu limpo, mais 30 dias depois fiz outro teste e deu totalmente limpo. Só esse da luta, que não foi pela USADA, foi pela Comissão Atlética de Nevada foi o que deu positivo e isso faz gerar uma certa dúvida aí. Como é que uma substância que é para cavalo vai sair do meu corpo assim tão rápido? Não vejo explicação plausível para isso. Estou me sentindo muito injustiçado porque quem me conhece sabe, quem me acompanha sabe, que até remédio evito tomar, sempre pesquiso (no site da USADA)”, disse Carlos Boi.

O brasileiro disse que não tem condições financeiras de arcar com o alto custo da sua defesa e que por isso, teve que aceitar a punição sem poder contestar. O lutador baiano seguiu se defendendo das acusações.

PUBLICIDADE:

“Infelizmente, o custo da defesa sairia muito caro, sem condições para mim. Só advogado seria mais de US$ 10 mil, fora cada suplemento que teria que ser testado, que seria mais de US$ 5 mil. Mas essa questão do suplemento pode se considerar fora de hipótese, porque até a galera da USADA mesmo que está envolvida lá, que entende do assunto, falou que não tem sentido fazer teste de suplemento partindo desse pressuposto de suplemento contaminado porque se fosse realmente contaminado, no teste da USADA que fiz depois da luta encontraria resquícios ainda do metabolito, a substância, mas não foi encontrado nem isso. Ou seja, só no teste da Comissão Atlética que acusou isso aí. Fica aí a dúvida”, criticou o brasileiro.

O atleta tupiniquim classificou toda a situação como ‘palhaçada’ e prometeu voltar ainda mais forte ao octógonno do Ultimate.

PUBLICIDADE:

“Acho isso uma palhaçada. Atrasa a vida de uma pessoa em praticamente dois anos, sendo que a pessoa não fez nada. Vou ficar um ano e meio parado praticamente por uma coisa que não fiz. Estou sendo julgado injustamente. Mas é isso, vamos voltar mais forte. O que não mata, fortalece. Estamos juntos”, finalizou o peso pesado.

PUBLICIDADE:

Carlos Boi fez sua luta de estreia pelo Ultimate em julho de 2020. Desde então, o lutador baiano subiu ao octógono em cinco oportunidades e conseguiu três vitórias e duas derrotas. O peso pesado possui um cartel de 11 triunfos e dois reveses no MMA profissional.

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276