Robert Whittaker indica duelo contra Marvin Vettori em junho e não descarta subida aos meio-pesados

Ex-campeão dos médios, o australiano deu a entender que tem encaminhada uma luta contra o italiano no meio do ano

R. Whittaker indicou que M. Vettori será seu próximo adversário (Foto: Montagem/SUPER LUTAS)

Menos de um mês após perder a revanche contra Israel Adesanya, válida pelo cinturão dos médios (até 83,9 kg), o ex-campeão Robert Whittaker já está em fase final de negociações para seu retorno ao octógono. O australiano deve retornar à ação contra Marvin Vettori, em junho.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Durante participação no podcast “MMA Hour”, do site norte-americano “MMA Fighting”, Robert Whitaker afirmou que deve voltar ao octógono antes do esperado.

“Pode haver algo encaminhado. Posso ter nome e local definidos. Estou voltando mais rápido do que eu costumo fazer. Não era parte do plano, mas me ofereceram uma oportunidade e, sinceramente, não tenho lesões da última luta. A data encaixa. Eu quero terminar esse ano com três lutas, então ter uma potencial luta em junho é bom para mim”, explicou Whittaker.

PUBLICIDADE:

Apesar de não citar nomes, o ex-campeão deixou claro que seu próximo adversário deve ser Marvin Vettori, terceiro colocado no ranking dos médios. O italiano é o único integrante do top 5 da divisão que Whittaker nunca enfrentou.

“Se nós estamos destrinchando isso, se estamos jogando ideias, no top 5 só existe um cara que eu ainda não enfrentei. Certo? Então o nome dele é o único que resta para tirar da cartola”, apontou Whittaker.

PUBLICIDADE:

Por fim, Robert Whittaker falou sobre a possibilidade de mudar de divisão no futuro. O ex-campeão dos médios destacou que se sente bem na atual categoria, descartou um retorno aos meio-médios (até 77 kg), mas deixou a porta aberta para uma eventual subida para os meio-pesados (até 93 kg).

PUBLICIDADE:

“Eu já pensei nisso, porque subir de divisão é definitivamente a única opção, não descer. Mas eu me sinto muito bem no peso médio. Tenho cortado bem o peso. Minha força e meu cardio estão no ponto certo. Sinto que eu perderia um pouco disso se fosse para os 93 kg. Não sei, vou tentar construir meu caminho para mais uma disputa de cinturão aqui nos médios e depois penso na ideia”, finalizou.

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276