Do Bronx diz não temer poder de nocaute de Gaethje e garante agressividade contra desafiante no UFC 274

Campeão dos leves fala com exclusividade ao SUPER LUTAS e analisa confronto a dias de defesa de cinturão

Perto da luta que pode confirmar sua segunda defesa de cinturão nos leves (até 70,3kg.) do Ultimate, Charles do Bronx esbanja confiança. Campeão da divisão há quase um ano, o brasileiro falou com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre o aguardado desafio contra Justin Gaethje, no UFC 274, em 7 de maio. O brasileiro evitou desrespeitar o desafiante, mas garantiu estar pronto para se mostrar superior em todas as áreas em que possa ser exigido.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Xodó da torcida brasileira, Do Bronx terá mais uma oportunidade de ampliar seu legado na organização. Em maio, o paulista poderá superar um dos maiores nomes na história recente da categoria.

Os perigos de Gaethje

Após finalizar Dustin Poirier em dezembro da temporada passada, Do Bronx terá um novo adversário conhecido pelo poder nos punhos. Seguro de sua evolução, Charles descarta qualquer receio à força de nocaute de Gaethje, que já protagonizou ‘guerras’ no octógono. O brasileiro, então, garantiu que não evitará um combate franco.

PUBLICIDADE:

“Você já viu uma carreta andando para frente, sem freio? Vocês sabem como funciona. É o Charles. Só ando para frente. Eu respeito a mão pesada dele (Gaethje). Na última luta, ele fez uma guerra contra o Michael Chandler, e eu nocauteei o Chandler com a mão esquerda. Quem tem a mão mais pesada? Não entendi até agora. A realidade é na hora (da luta), o que vai acontecer. Dia 7 de maio, estou indo para provar mais uma vez”, garantiu.

Autoconfiança

Mesmo provando luta a luta a evolução da complexidade de seu estilo, Do Bronx ainda é temido por seu jiu-jitsu de excelência. Maior finalizador na história do UFC, o brasileiro, no entanto, descarta qualquer precipitação para usar a ‘arte suave’ e anular o poder de nocaute do oponente.

PUBLICIDADE:

“Não vou sair correndo e ‘pular na guarda dele’, igual todos estão pensando. Não vou sair correndo e tentar um rolamento para pegar as pernas. Vou trocar porrada com esse cara. Tenho poder de fogo nas mãos. (…) A gente vem de uma sequência gigantesca de vitórias, trocamos porrada de igual para igual com os caras que diziam que era o favorito. A gente nocauteia ou finaliza”, encerrou.

PUBLICIDADE:

Histórico do atleta

Aos 32 anos, Do Bronx se encaminha para sua 42ª apresentação como profissional no MMA. O atleta, hoje, soma 32 vitórias, oito derrotas e um ‘no contest’.

Em 7 de maio, o brasileiro terá a oportunidade de chegar à sua defesa de cinturão. O trono do paulista foi conquistado há cerca de um ano, quando brutalizou Michael Chandler na disputa de título vago.

Podcast #63: Blachowicz merece enfrentar Glover pelo cinturão do UFC? Lyoto perde no Bellator e se complica