Shogun analisa revanche no UFC 274 e crava quando pretende anunciar a aposentadoria do MMA

Com exclusividade ao SUPER LUTAS, lenda do esporte reedita luta contra Ovince St-Preux e confirma estar perto de pendurar as luvas

Entre os maiores representantes na história do MMA brasileiro, Maurício Shogun estará de volta ao octógono neste sábado (7), pelo UFC 274. A dias de mais um compromisso no esporte, o atleta de 40 anos falou com exclusividade ao SUPER LUTAS e analisou a revanche que travará contra Ovince St.Preux. A lenda também abriu o jogo sobre uma eventual aposentadoria.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Ícone do Pride e ex-campeão dos meio-pesados (até 93kg.) do UFC, Shogun volta a dividir o octógono com St.Preux cerca de oito anos após o primeiro encontro. Em 2014, o brasileiro acabou nocauteado pelo rival em 34 segundos de embate.

Oportunidade da revanche

Disposto a reescrever a história com Ovince, Shogun revelou como foi a negociação para a confirmação da revanche. Embora não haja ‘assuntos mal resolvidos’, o curitibano se diz satisfeito com o novo encontro.

PUBLICIDADE:

“É uma revanche oito anos depois. É uma luta que o UFC nos sugeriu, e achamos legal. Eu também queria, com todo respeito ao St.Preux. Sei que vai ser uma luta difícil. (…) É o sonho de tentar reverter esse resultado”, afirmou.

Aposentadoria

Perto de completar 41 anos e com quase 20 anos de carreira no MMA profissional, Shogun não esconde que está perto de anunciar a aposentadoria. Sem se esquivar, o brasileiro cravou o que falta para tomar a decisão de pendurar as luvas.

PUBLICIDADE:

“Meu objetivo é fazer mais duas (lutas). Essa (contra Ovince), e mais uma. Pretendo parar neste ano. Se não for neste ano, pode ser no ano que vem. Quero fazer mais duas e parar. Esse é o meu objetivo”, encerrou.

PUBLICIDADE:

Histórico do atleta

Aos 40 anos, Shogun é um dos grandes responsáveis pela difusão do MMA no início dos anos 2000. Profissional no MMA desde 2002, o curitibano acumula 40 compromissos na modalidade, somando 27 vitórias, 12 derrotas e um empate.

Em sua trajetória no esporte, o brasileiro acumula o título do Grand Prix dos médios no Pride, em 2005, além do cinturão dos meio-pesados do Ultimate, conquistado em 2010.

Na carreira de quase 20 anos, Maurício coleciona vitórias contra referências no esporte, como Rogério Minotouro, Alistair Overeem, Ricardo Arona, Kevin Randleman, Mark Coleman, Lyoto Machida e Forrest Griffin.

Podcast #63: Blachowicz merece enfrentar Glover pelo cinturão do UFC? Lyoto perde no Bellator e se complica