AO VIVO

Acompanhe a PFL 5 2022, com esquadrão brasileiro em ação

Glover diz respeitar Prochazka, mas afirma que desafio contra tcheco não se compara ao que teve contra Jones

Campeão reconhece perigos de seu primeiro desafiante, porém, garante superioridade da lenda dos meio-pesados

G. Teixeira em coletiva pelo UFC. Foto: Reprodução/YouTube UFC

A dias de sua primeira defesa de cinturão, Glover Teixeira não quer saber de desrespeitar os perigos que podem ser impostos por Jiri Prochazka no UFC 275. O campeão dos meio-pesados (até 93kg.), no entanto, é sincero ao comparar o desafio de enfrentar o tcheco com o duelo promovido contra Jon Jones, em 2014. Para o brasileiro, o compromisso de medir forças com a lenda da divisão está em outro nível.

PUBLICIDADE:

“(Prochazka) faz coisas que eu não chamaria de loucuras, mas, tem momentos em que ele é ‘maluco’. Eu enfrentei atletas que não posso comparar com alguém como Jon Jones, o melhor na história da divisão. Ele (Jiri) tem bons momentos, lança ataques imprevisíveis, situações que são difíceis de se estuar, mas comete erros”, afirmou o mineiro, em entrevista ao podcast ‘Trocação Franca’.

Veja Também

Neste fim de semana, Teixeira poderá ampliar seu legado no MMA como um dos maiores representantes brasileiros na categoria até 93kg. Caso supere o tcheco, Glover se igualará a Lyoto Machida, único tupiniquim a defender o cinturão dos meio-pesados.

PUBLICIDADE:

Disposto a encerrar o reinado do tupiniquim no grupo, Prochazka também pode fazer história, se superar o campeão no sábado (11). O tcheco pode assumir o trono da categoria de forma relâmpago, cumprindo apenas seu terceiro compromisso com as luvas da organização.

Além do confronto entre Teixeira e Jiri, o UFC 275 contará com outra disputa de cinturão. No peso mosca, a brasileira Taila Santos tenta chocar o mundo e impor a primeira derrota da soberana campeã, Valentina Shevchenko, no grupo. A quirguistanesa não sabe o que é perder dentro da divisão até 56,7kg.

PUBLICIDADE:

Podcast #67: Durinho fez o pix para Yanex após nocaute em lutador que falou mal do Brasil + UFC Austin: card do ano