Após controvérsia do UFC 177, treinador diz que Barão não precisa subir de peso

Dedé Pederneiras diz que atleta tem condições de continuar entre os galos e vê falta de descanso como razão de desmaio

Dedé (centro) diz que Barão (dir.) deverá continuar lutando entre os galos. Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto

Dedé (centro) diz que Barão (dir.) deverá continuar lutando entre os galos. Foto: Alexandre Loureiro/Inovafoto

Após a polêmica saída de última hora de Renan Barão do UFC 177, na semana passada, voltou à tona o debate sobre qual seria a categoria de peso ideal para lutador brasileiro. No entanto, o treinador principal de Barão, Dedé Pederneiras, acredita que o atleta tem condições de continuar lutando entre os galos (até 61 kg), sem haver a necessidade de subir para a divisão dos penas, que tem um limite de peso 5 kg maior.

“As pessoas ficam falando que Barão deveria lutar na categoria de cima. Ele é realmente um garoto grande para a divisão de 61,2 kg, mas eu acho que se a gente tiver o respaldo dos médicos com os quais a gente trabalha e dos nutricionistas, não vejo por que ele trocar de categoria”, comentou Pederneiras, em entrevista ao site do canal “Combate”.

De acordo com o líder da academia Nova União, o problema enfrentado por Barão no UFC 177 é fruto de uma falta de descanso para o lutador. “O que vejo é que o Barão precisa de um tempo maior entre uma luta e outra para não fazer esses sucessivos treinos para uma luta de cinco rounds, que são muito mais pesados do que para uma luta de três rounds, a cada três meses”, afirmou. “O que eu conversei com o Barão depois da saída do hospital é que ele tem que dar um tempo para o corpo dele descansar. Por mais que ele seja novo, pois tem 27 anos, se você for ver, só de fevereiro para cá, ou seja, em seis meses, Barão iria fazer a sua terceira luta. Então é uma sobrecarga muito grande de treinamento em cima do corpo”, concluiu o treinador.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments