Wanderlei Silva apela a tribunal para rever banimento eterno do MMA

Brasileiro foi proibido de atuar pelo resto de sua vida em Nevada, estado onde fica a cidade de Las Vegas

Wand (foto) anunciou sua aposentadoria dias antes da punição da NSAC. Foto: Josh Hedges/UFC

Wand (foto) anunciou sua aposentadoria dias antes da punição da NSAC. Foto: Josh Hedges/UFC

No último mês de setembro, após uma longa novela que se iniciou com sua fuga de um exame antidoping surpresa no primeiro semestre, o brasileiro Wanderlei Silva foi banido eternamente do MMA no estado de Nevada pela Comissão Atlética local. Como o órgão é a principal referência no ramo e suas determinações são seguidas por outras entidades, o brasileiro pode ser considerado até mesmo afastado do esporte. Por isso, mesmo aposentado do MMA e em litígio com o UFC, o lutador quer rever a pena e, por meio de seu advogado Ross Goodman, entrou com uma petição no tribunal do Condado de Clark.

Veja Também

Suposta ex-mulher de Johnson pede demissão do lutador do UFC: ‘Ele é malvado’
Lutador do Bellator é preso alcoolizado após agredir policiais nos Estados Unidos
Sonnen discorda de cruzada de Wand contra o UFC: ‘Ele está tomando decisões ruins’
McGregor relembra polêmica com fãs brasileiros: ‘Queriam me matar e eu queria matá-los’

“Trata-se de um apelo a um juiz para que ele ouça essa questão legal que recebeu pouca atenção da Comissão Atlética de Nevada. Eles nem sequer abordaram o assunto, apenas disseram: ‘Moção negada’. Essa coisa toda foi simplesmente um grande tribunal de fantoches e, agora, nós vamos conseguir uma audiência real. Essa decisão (da Comsisão Atlética) foi premeditada”, disse Goodman, em entrevista ao site norte-americano “MMA Junkie”.

Ainda segundo o advogado, assim como aconteceu nas próprias sessões com a Comissão Atlética de Nevada, o principal argumento utilizado na petição é de que o órgão não teria autoridade para aplicar tal punição, ou mesmo pedir o teste surpresa que motivou toda a celeuma, pois Wanderlei seria um atleta não licenciado, já que ainda não havia solicitado sua autorização para lutar junto à entidade. Goodman também disse que espera que o caso de Wand seja analisado pelo tribunal do Condado de Clark entre janeiro e fevereiro do próximo ano.

Aos 38 anos, Wanderlei Silva encerrou sua carreira dias antes da decisão da Comissão Atlética sobre seu banimento eterno do MMA em Nevada. O “Cachorro Louco” tem um cartel profissional de 35 vitórias, 12 derrotas, um empate e uma luta sem resultado. Desde que pendurou as luvas, Wand tem travado uma verdadeira cruzada contra o UFC, por meio de vídeos em seu canal oficial no YouTube e declarações na imprensa. No mais recente capítulo da rixa, o brasileiro acusou a organização de impedi-lo de trabalhar, após ele ter sido proibido de participar de recente vento do rival Bellator por ainda possuir obrigações contratuais com o Ultimate.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments