UFC retira lutadores suspensos por doping de seu ranking oficial

Medida, no entanto, só é válida para aqueles que receberam gancho igual ou superior a nove meses; aguardando julgamento, Anderson Silva segue na lista

H. Lombard (esq.) e A. Bagautinov (dir.) foram os primeiros nomes cortados por doping. Foto: Produção SUPER LUTAS (Josh Hedges/UFC)

H. Lombard (esq.) e A. Bagautinov (dir.) foram os primeiros nomes cortados por doping. Foto: Produção SUPER LUTAS (Josh Hedges/UFC)

Em mais uma medida a fim de coibir o uso de substâncias ilegais entre seus atletas, a organização do UFC informou que está retirando os lutadores suspensos por doping de seu ranking oficial. A medida, no entanto, é válida apenas para atletas cujas suspensões sejam por tempo igual ou superior a nove meses.

Veja Também

Gabriel Napão encara Shawn Jordan no UFC 166
Assista à pesagem do UFC FN 64, com Napão e Cro Cop na Polônia. Ao vivo!
Jorge Blade é flagrado no antidoping pelo uso de anabolizantes no UFC Rio 6
UFC contrata agente que investigou Lance Armstrong para chefiar antidoping

O ranking do UFC é composto pela média dos votos de um painel de jornalistas internacionais credenciados, mas é preciso que os lutadores listados cumpram alguns pré-requisitos de elegibilidade. A partir de agora, entre os critérios a serem cumpridos estará a ausência de qualquer tipo de sanção esportiva ligada a casos de doping. Assim, os nomes destes atletas não estarão disponíveis para inclusão nas relações.

Com a nova política, dois nomes foram imediatamente removidos dos rankings: o do cubano Hector Lombard e do russo Ali Bagautinov. Já o brasileiro Anderson Silva, que também foi flagrado recentemente pelo uso de esteroides anabolizantes e ansiolíticos antes e depois do UFC 183, segue nas listagens pois foi suspenso provisoriamente e ainda aguarda o resultado final de seu julgamento, adiado para maio. O mesmo caso se aplica ao adversário do Spider, Nick Diaz, que testou positivo para maconha pela terceira vez em sua carreira.

Além do status atribuído e da classificação aproximada da corrida pelos cinturões em cada uma das corridas do Ultimate, o ranking oficial da organização passa a ter outro papel fundamental a partir de julho, quando entre em vigor o contrato de exclusividade com a Reebok. No novo modelo, os atletas vão receber seus direitos de imagem, parcelas do montante total do acordo com a marca de material esportivo, baseados em seu posicionamento no ranking. Ou seja, estar fora da listagem pode representar a perda bastante dinheiro.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments