Mesmo em mau momento, Henderson nega pressão e descarta aposentadoria após UFC FN 68

Veterano, que enfrentará Tim Boetsch no próximo sábado (6), garante que irá cumprir suas três lutas de contrato

Veterano Henderson disparou contra fiscalização antidoping frágil no MMA. Foto: Divulgação/UFC

Henderson não sabe o que é vencer desde março de 2014. Foto: Divulgação/UFC

Vindo de cinco derrotas em suas últimas seis lutas, Dan Henderson vive o momento mais delicado de sua longa carreira no MMA. No entanto, se engana quem pensa que o veterano se sente excessivamente pressionado por isso.

Veja Também

UFC anuncia programa antidoping com agência que desmascarou Lance Armstrong
Campeã do BBB 14, Vanessa Mesquita será ring girl do Jungle Fight 78
De volta ao Brasil, Belfort participa com Ronaldo Fenômeno do ‘Altas Horas’

Prestes a fazer a luta principal do UFC Fight Night 68, diante de Tim Boetsch, Henderson, atleta mais velho do Ultimate em atividade, com 44 anos, minimiza qualquer chance de aposentadoria e garante que cumprirá as três lutas que lhe resta por contrato.

“É apenas mais uma luta, mas, ao mesmo tempo, coloco pressão em mim mesmo para vencer todas as lutas. Provavelmente isso vai ser um pouco maior vindo de derrotas, com certeza. Mas eu nunca digo para mim mesmo que ‘se eu perder, estou acabado’. Eu vou cumprir meu contrato e ver o que acontece depois disso. Meu corpo está ótimo, então vou seguindo em frente. Tenho esta luta e mais duas no meu contrato, então vou lutar por pelo menos mais um ano”, esclareceu Henderson, em entrevista ao site da emissora norte-americana “FOX Sports”.

A luta entre Henderson e Boetsch será a atração principal do UFC FN 68, neste sábado (6), que também terá a participação de dois brasileiros: Thiago Tavares enfrenta Brian Ortega e Ricardo Demente enfrenta Jake Collier.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments