Após ‘sumiço’, presidente da CBTKD cobra Anderson Silva: ‘Isso aqui não é brincadeira’

Carlos Fernandes fez duras críticas ao Spider e disse que o ex-campeão do UFC não tem respondido seus contatos nos últimos dias

Anderson em encontro com o presidente da CBTKD quando foi nomeado "Embaixador" da modalidade. Foto: Divulgação

Anderson e Carlos Fernandes: último encontro entre eles aconteceu na coletiva de imprensa na CBTKD, em abril. Foto: Divulgação

Se o empresário de Anderson Silva, Jorge “Joinha” Guimarães, já havia afirmado que disputar uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2016 não fazia mais partes do plano do lutador, a Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD) parece ter fechado a porta para o “sonho olímpico” do Spider pelo outro lado. Em entrevista, o presidente da entidade, Carlos Fernandes, se disse surpreso por saber da decisão por meio da imprensa e expressou também seu descontentamento com o que classificou como sumiço de Anderson, que não tem respondido seus contatos nos últimos dias.

Veja Também

Empresário garante: ‘Anderson Silva não vai participar das Olimpíadas de 2016’
Werdum revela clima quente com Velasquez no México: ‘Ele não quis me cumprimentar’
Anderson Silva pede por novo adiamento e audiência para caso de doping será em agosto
Werdum recebe apoio de estrelas do UFC para disputa de cinturão contra Velasquez
Após 77 lances, antigo carro de Ronda Rousey é leiloado por quase R$ 70 mil

“Não recebemos nenhum contato do Anderson. Aliás, para ser sincero, o Anderson sumiu. Passamos alguns emails, mas ele não tem se manifestado, não estamos sabendo o que está acontecendo. Em nenhum momento falamos que ele participaria das Olimpíadas, mas participaria do processo seletivo. Acho que o empresário dele errou nesse ponto. Mas ele não se manifestou diretamente para a Confederação. Para mim, é até uma surpresa. Acho que seria até mais ético se ele falasse isso direto com a Confederação”, disse Fernandes, em entrevista ao site “Globoesporte”.

O presidente ainda lembrou alarde feito no anúncio de que Anderson tentaria uma vaga nas Olimpíadas do Rio para cobrar mais seriedade. “Quando o Anderson se manifestou, veio na Confederação e enviou uma carta publicamente. Não sei se ele fez isso por um momento que estava passando. Mas isso aqui não é uma brincadeira. Não é um teatro armado. A imprensa não vai para lá, a gente não manifesta e depois fica sabendo através de empresário. E a verdade é a seguinte: ele não responde os nossos emails. Acho que quem cala consente, né? Se ele não está respondendo, está vendo o tempo passar…”, ponderou.

Apesar da surpresa, o dirigente disse que a história já havia acontecido anteriormente, quando a CBTKD concedeu a Anderson o título de “Embaixador do Taekwondo”. “A Confederação está vendida também nessa história. Aliás, não é a primeira vez. Quando demos a ele o título de embaixador, ele foi condecorado e sumiu também. Acho que embaixador tem que estar presente. Aí aparece dois anos depois, se apresenta. A Confederação tem a hombridade de tornar isso público, recebe ele. Ele vai, se pronuncia e desaparece. Se realmente procede isso, foi muito antiético. Não é realmente uma postura profissional”, concluiu.

Atualmente, Anderson Silva está suspenso temporariamente pela Comissão Atlética de Nevada, após ser flagrado duas vezes em exames antidoping pelo uso de esteroides anabolizantes e ansiolíticos, antes e depois da luta contra Nick Diaz no UFC 183. Nesta terça-feira (09), o Spider pediu novo adiamento para a audiência disciplinar que vai definir o seu futuro, e agora deve enfrentar o julgamento somente em agosto.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments