Técnico de José Aldo: Se a fratura for confirmada, ele não volta antes de outubro

Dedé Pederneiras também deu mais detalhes sobre o momento do treinamento na Nova União que ocasionou a lesão do campeão dos penas

Dedé Pederneiras (dir.) falou sobre a lesão de J. Aldo (esq.). Foto: Reprodução

Dedé Pederneiras (dir.) falou sobre a lesão de J. Aldo (esq.). Foto: Reprodução

O anúncio de que José Aldo havia se contundido durante um treino na academia Nova União nesta terça-feira (23) e que isso pode acarretar sua saída da luta contra Conor McGregor no UFC 189 foi um verdadeiro balde de água fria sobre os fãs de MMA. Aldo ainda não está oficialmente fora do duelo pelo cinturão dos penas e passará por uma avaliação mais detalhada, mas as novidades, no entanto, não são tão animadoras. Segundo o treinador do manauara, Dedé Pederneiras, caso a fratura na costela se confirme, o campeão poderá ficar fora de ação por pelo menos quatro meses.

Veja Também

José Aldo sofre fratura na costela e deve adiar luta contra Conor McGregor
Dana White adota tom enigmático e dá a entender que luta de José Aldo não será cancelada
Anderson Silva cai mais uma posição no ranking do UFC e é ultrapassado por Barão
Comercial de patrocinador de Aldo provoca McGregor: ‘Ninguém é rei por acaso. Acabou a graça!’

“Se a fratura for constatada realmente, o Aldo vai ter que ficar parado, sem fazer nada três ou quatro semanas até consolidar, para depois começar a fazer qualquer tipo de exercício sem forçar a costela. Com isso, ele precisaria do tempo normal para fazer uma luta: um camp de três meses. Acredito que essa luta (contra o McGregor) não aconteceria antes de outubro”, disse Dedé, em entrevista ao site do canal “Combate”.

O técnico ainda deu mais detalhes sobre o episódio que culminou na contusão de Aldo, um chute giratório aplicado pelo companheiro de treinos Alcides Nunes e disse que este foi um episódio inédito na história da academia. “Ele chorou (na hora), quer muito essa luta, foi um investimento de todos os lados. Estive com ele boa parte da tarde. Ele está arrasado, quer a luta de qualquer jeito. Agora tem que esperar o resultado do exame, o laudo. O Aldo está sentindo muita dor. Ele terminou o round sentindo muita dor. Não arriou depois do golpe, esperou acabar o round e disse que não dava para continuar. Foi a primeira vez na vida dele que fez isso. Já apanhou muito aqui e nunca fez isso. (…) Nunca houve fratura de costela na minha academia. Ninguém nunca fraturou a costela aqui treinando MMA. Outras lesões já aconteceram, mas, assim, não me lembro. Essas coisas acontecem. Deus quer desse jeito, e não temos como fazer nada”, concluiu.

A organização do Ultimate deve se pronunciar em breve sobre a permanência ou não de José Aldo na luta principal do UFC 189, marcado para o dia 11 de julho, na MGM Grand Garden Arena. Entre as possibilidades levantadas, além da manutenção do brasileiro no combate, estão o adiamento do duelo e até mesmo a substituição de Aldo por outro atleta.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments