Reebok se isenta de responsabilidade em demissão de ‘cutman’ do UFC

Marca de material esportivo garantiu que não tem relação com a decisão do Ultimate de dispensar Stitch após comentários sobre o contrato de patrocínio

Stitch (foto) era o principal 'cutman' do UFC. Foto: Divulgação

Stitch (foto) era o principal ‘cutman’ do UFC. Foto: Divulgação

Veja Também

Wanderlei Silva insiste que UFC tem ‘lutas compradas’ e garante: ‘Posso provar isso!’
Jogador de beisebol flerta com Ronda Rousey, mas é barrado por mãe da lutadora
UFC e TUF podem sair da grade da Globo em 2016, diz colunista
Sonnen diz que ele e o UFC foram ameaçados de processo por José Aldo

A demissão de Jacob “Stitch”, o mais famoso cutman (responsável por tratar os cortes e machucados dos atletas no octógono) mobilizou a comunidade do MMA, especialmente em simpatia pelo funcionário de longa data da organização. A principal causa apontada para a saída de Stitch do UFC foi um comentário crítico ao novo acordo de exclusividade entre o evento e a Reebok. Tão logo a notícia veio a público, a marca de material esportivo fez questão de se retratar e garantir que não possui qualquer relação com a decisão.

“Fãs do UFC, nós não temos nenhuma influência em decisões empregatícias do Ultimate e nem em compensações para lutadores. Nosso foco está exclusivamente em fornecer os melhores equipamentos para atletas e fãs”, escreveu a Reebok, em comunicado oficial.

Após a divulgação da nota, Stitch foi às redes sociais comentar o episódio e disse que sua dispensa foi motivada pelas declarações contra a exclusividade entre UFC e Reebok, mas deu a entender que a palavra final partiu mesmo da organização. “O UFC me deixou porque eu falei sobre o acordo com a Reebok. Agora é procurar por um novo emprego”, disse, em resposta a um fã.

O milionário contrato entre UFC e Reebok para a exclusividade no fornecimento de material esportivo e patrocínio durante a semana de lutas e os eventos oficiais da organização foi assinado em dezembro do ano passado e está em vigor desde o último dia 1º de julho. Pelo acordo, os atletas não podem mais se apresentar com patrocinadores pessoais em seus uniformes ou nos antigos banners.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments