Ronda parte em defesa do amigo Nick Diaz: ‘Muito injusto’

Campeã ainda disse que não considera correto que substâncias como maconha estejam incluídas nos testes antidoping

Diaz (esq.) e Ronda (dir.) residem na Califórnia e são grandes amigos. Foto: Divulgação

Diaz (esq.) e Ronda (dir.) residem na Califórnia e são grandes amigos. Foto: Divulgação

Tão logo foi anunciada a suspensão de cinco anos para Nick Diaz, com direito a uma multa de quase R$ 600 mil, por ter testado positivo para maconha na luta contra Anderson Silva em janeiro, diversos astros do MMA se manifestaram publicamente em apoio ao norte-americano. Agora, foi a vez da campeã Ronda Rousey, maior estrela do esporte na atualidade, sair em defesa de Diaz, e classificar como injusta a posição da Comissão Atlética de Nevada.

Veja Também

Vídeo: Com o punho cerrado, Ronda intimida Holm em encarada na Austrália
Lutadores apoiam Diaz e citam casos de Anderson Silva e Jon Jones
Irado após suspensão, Nick Diaz dispara: ‘Todos os lutadores usam esteroides’

“Nick é um amigo próximo, então, é claro que eu vou defendê-lo, mas é muito injusto uma pessoa ser testada por esteroides que podem machucar outra pessoa enquanto outra que fuma uma planta que a deixa feliz é suspensa por cinco anos”, disse Ronda, durante entrevista coletiva na Austrália, em óbvia referência ao caso de Anderson Silva, adversário de Diaz no UFC 183.

Além disso, Ronda disse que não concorda que a maconha esteja entre a lista de substâncias testadas. “Não é correto que ele seja suspenso por cinco anos por maconha. Eu sou contra testarem maconha de qualquer forma. Não é uma droga para melhora de desempenho. Não tem a ver com competição atlética, só é testada por questões políticas. Eles dize: ‘Oh, é só para manter a sua segurança, para evitar que você se machuque’. Então por que eles não testam todas as coisas que podem possivelmente nos machucar?”, questionou.

Ronda Rousey volta ao octógono no dia 14 de novembro, em Melbourne (Austrália), quando será desafiante pela invicta Holly Holm na disputa do cinturão peso galo. O duelo será a luta principal do UFC 193. Enquanto isso, o amigo Nick Diaz e seus advogados prometem recorrer da decisão da Comissão Atlética.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments