DC elogia Gustafsson e impõe condição para luta com Jones

Campeão dos meio-pesados diz que sueco lhe deu a ‘pior surra de sua vida’ e diz que não quer enfrentar Jones em Nova York

Cormier mostra rosto inchado depois de vencer Gustafsson. Foto: Reprodução

Cormier mostra rosto inchado depois de vencer Gustafsson. Foto: Reprodução

Campeão mundial dos meio-pesados, Daniel Cormier deu várias alfinetadas em seu adversário no UFC 192, Alexander Gustafsson, a quem inclusive classificou como um dos lutadores mais superestimados da atualidade. No entanto, depois da luta entre eles, o norte-americano mudou suas palavras e não poupou elogios ao sueco.

Cormier e Gustafsson travaram duelo eletrizante no octógono montado em Houston (EUA). Com bons momentos para ambos os atletas, a luta chegou à decisão dos juízes após cinco rounds parelhos, e a vitória ficou com o campeão de maneira dividida.

Em entrevista coletiva logo após a luta, Cormier reconheceu que foi bastante castigado, já que inclusive não se lembra de vários momentos da disputa. Porém, ele explicou por que havia criticado o sueco antes do duelo.

Veja Também

Cormier bate Gustafsson em lutaça e mantém cinturão no UFC 192
Jones elogia Cormier após luta: ‘Você mostrou coração’
UFC agenda evento em Nova York em abril de 2016
Jon Jones se declara culpado e escapa da prisão, mas ficará sob liberdade condicional
‘Acho que Gustafsson é superestimado’, diz Cormier

“Sou parceiro de negócios do UFC e eu preciso vender as lutas. Isso afeta o meu pagamento final. Tentei fazer meu melhor para isso, porque não quero que as pessoas fiquem indiferentes a mim: elas que me amem, elas que me odeiem, mas que se importem para me assistir. Mas agora tenho que falar a verdade: ele me deu uma surra e me fez lutar o meu melhor. Por isso, o agradeço. Sinto que apanhei bastante. Estou machucado. Machuquei meu pé – ele bloqueou um chute e não sei se meu pé quebrou. Foi o pior castigo que já levei. Meu Deus, esse cara é duro demais”, comentou Cormier, com parte de seu rosto inchada.

Agora com uma defesa de título em seu currículo, Cormier se mostrou indiferente quanto ao seu futuro desafiante. O campeão se mostrou aberto a enfrentar tanto o antigo detentor do cinturão, Jon Jones, quanto Ryan Bader, que chegou a cinco vitórias seguidas no octógono justamente o UFC 192, sobre Rashad Evans.

“Eu não me importo. Eu quero lutar. É isso que eu faço e é isso que gosto de fazer. Não vou recuar para ninguém. Ryan Bader fez um bom trabalho e venceu Rashad Evans, e eu não achava que ele conseguiria. E Jon Jones é Jon Jones, o melhor lutador de todos os tempos”, declarou o atual campeão.

No entanto, Cormier impôs uma condição caso seu próximo adversário seja Jones: ele não quer lutar na cidade natal do oponente. “Eu não o enfrentaria em Nova York. Ele vai ser adorado e ovacionado por lá. Por que eu o permitiria lutar em um local em que ele se sentirá confortável? Quero que ele lute em um lugar onde as pessoas o cobrem por todas as coisas que ele fez”, disse, referindo-se ao polêmico acidente de trânsito no qual o ex-campeão se envolveu.

Jones e Cormier já se enfrentaram, em janeiro deste ano, com vitória do primeiro na decisão dos juízes. Jones perdeu o título meses depois, quando o UFC lhe destituiu do posto justamente por conta do acidente de trânsito. O Ultimate agendou um evento para Nova York em abril de 2016, mas ainda precisa resolver problemas burocráticos para tirar o plano do papel.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments