Jon Jones se declara culpado e escapa da prisão, mas ficará sob liberdade condicional

Ex-campeão ainda terá que cumprir serviços comunitários junto a crianças em Albuquerque e informar a justiça sobre seu paradeiro

Jones (foto) já está legalmente apto a lutar, mas agora decisão depende do UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

Jones (foto) já está legalmente apto a lutar, mas agora decisão depende do UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

Após meses de muita especulação, o caso do ex-campão do UFC Jon Jones, que foi preso no primeiro semestre após se envolver em um acidente de trânsito e fugir sem prestar assistência à vítima, chegou ao seu desfecho nesta terça-feira (29). Em audiência realizada na cidade de Albuquerque (EUA), Jones se declarou culpado no episódio e escapou da prisão, mas vai passar os próximos 18 meses sob liberdade condicional e terá que ministrar aulas em grupos infantis.

Veja Também

Com ‘seios de 5,5 kg’, musa do MMA amador se vê obrigada a mudar de divisão
UFC agenda evento em Nova York em abril de 2016
Bisping responde desafio de Anderson Silva: ‘Vamos fazer essa p***’
Ronda revela que suas primeiras lutas no MMA foram contra homens

“Estou aqui para assumir responsabilidade total pelo que aconteceu e por minhas ações. Espero que você possa me dar uma oportunidade de me redimir”, declarou Jones, que se disse “envergonhado” pelo acontecido, ao juiz no tribunal. Com o acordo, Jones teve as queixas retiradas e não foi condenado por crime, mas será submetido a exames de sangue a bafômetro aleatórios e deverá prestar satisfações sobre seu paradeiro à justiça nos próximos meses.

O ex-campeão também divulgou um longo comunicado no qual se disse arrependido por tudo e pediu desculpas. “Após a decisão de hoje da corte, eu estou muito feliz de poder deixar este incidente para trás. Minhas ações causaram dor e inconvenientes às vidas de outros e eu sinto muito por isso, e aceito toda a responsabilidade. Eu tenho trabalhado duro durante esse tempo longe do esporte para crescer e amadurecer como homem e garantir que nada disso aconteça novamente. Eu aprendi muito com essa situação e estou determinado a emergir como uma pessoa melhor por causa disso. Eu me desculpo com aqueles que foram afetados por minhas ações neste incidente e espero ter a oportunidade de me redimir aos olhares do público, minha família e amigos, assim como meus apoiadores. Eu não estou certo do que o futuro reserva para mim, mas planejo continuar a fazer o trabalho necessário para ser produtivo e bem sucedido em cada aspecto da minha vida”, disse Jones.

Considerado por muitos um dos maiores lutadores de MMA de todos os tempos, Jon Jones tem um cartel profissional no MMA de 21 vitórias e apenas uma derrota, por desqualificação após um golpe ilegal – em um resultado bastante contestado até hoje. Após a decisão judicial, o ex-campeão dos meio-pesados, que detém o recorde de defesas de cinturão consecutivas na categoria, está legalmente liberado para voltar a atuar, mas seu retorno ao octógono ainda está condicionado a uma decisão favorável do UFC.

O caso Jones

No dia 26 de abril, Jones cruzou um sinal vermelho com uma SUV alugada e atingiu em cheio um carro que era dirigido por uma mulher grávida. Depois disso, o lutador fugiu da cena a pé, retornando brevemente ao seu carro para pegar uma quantidade de dinheiro que lá estava. A polícia encontrou drogas na cena, e Jones foi detido logo em seguida. O UFC, então, retirou seu cinturão dos meio-pesados e o suspendeu indefinidamente.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário