Irritado, Kennedy mostra desejo em lutar no Bellator

Norte-americano volta a criticar acordo entre UFC e a Reebok e exalta seu ex-chefe, hoje presidente do Bellator: ‘Ele é incrível’

T. Kennedy não luta desde setembro do ano passado. Foto: Josh Hedges/UFC

T. Kennedy não luta desde setembro do ano passado. Foto: Josh Hedges/UFC

Tim Kennedy já vinha se mostrando um dos lutadores mais críticos ao acordo de patrocínio entre o UFC e a Reebok, mas desta vez foi além. O norte-americano expressou seu desejo em lutar sob o comando de seu antigo chefe, Scott Coker, hoje no Bellator, caso não tivesse nenhum tipo de vínculo contratual com o Ultimate.

Veja Também

Kennedy critica pagamento aos atletas com acordo da Reebok: ‘Horrível, trágico e patético’
Funcionário do UFC critica acordo com a Reebok e acaba demitido
Thomson fatura 7 vezes mais em patrocínio no Bellator do que com Reebok
Reebok rebate críticas: ‘É o UFC que decide como os atletas serão pagos’

Desde julho, a Reebok fornece uniformes a todos os lutadores do UFC. O acordo, porém, causou polêmica, já que impede que os atletas entrem com patrocinadores no octógono, além de ter uma compensação financeira considerada baixa.

Kennedy mais uma vez expressou sua insatisfação com a situação e declarou ter vontade de voltar a trabalhar com Coker, que foi seu patrão nos tempos do Strikeforce. “Scott é incrível, eu adoro lutar para ele. Se eu não tivesse obrigação contratual com o UFC, eu definitivamente lutaria para ele”, disse o norte-americano, em entrevista ao podcast “Submission Radio”.

O lutador mais uma vez declarou que terá grandes perdas financeiras com o acordo entre o UFC e a Reebok. “Eu posso mostrar o quanto ganhei de patrocínios em minha última luta no Strikeforce, quando ganhei para lutar pelo título no Strikeforce e quanto eu vou ganhar com o acordo com a Reebok. Como você vai discutir com isso? Eu não sou um idiota. Eu sou um bom homem de negócios”, completou.

Coincidentemente ou não, Kennedy está afastado das lutas desde o ano passado e não tem previsão de retorno. Seu último combate foi em setembro de 2014, quando perdeu para Yoel Romero em luta polêmica no UFC 178; de lá para cá, não teve nenhuma luta marcada, apesar de não ter sofrido com contusões.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments