Técnico de Aldo admite erro em estratégia contra McGregor: ‘Não era bem aquilo’

Dedé Pederneiras ainda explicou sua declaração de que a derrota do ex-campeão teria sido um "golpe de sorte" do irlandês

Dedé (dir.) pediu respeito a Aldo (esq.) após derrota para McGregor. Foto: Divulgação

Dedé (dir.) comentou a derrota de Aldo (esq.) para McGregor. Foto: Divulgação

A derrota relâmpago de José Aldo para Conor McGregor no UFC 194 em apenas 13 segundos chocou os fãs de MMA e também a equipe do brasileiro. Após o revés, o técnico Dedé Pederneiras chegou a dizer que o nocaute do irlandês havia sido “um golpe de sorte”. Porém, passada uma semana da perda do cinturão dos penas pelo manauara, o líder da Nova União voltou a avaliar o embate e disse que houve um erro estratégico de seu pupilo.

Veja Também

Desafiado por Rafael dos Anjos, McGregor responde: ‘Quero vê-lo implorar’
Vídeo: Assista ao nocaute de Rafael dos Anjos sobre Donald Cerrone
’10 anos não se apagam em 13 segundos’, diz Aldo na chegada ao Brasil
Campeã do TUF é presa após briga em bar nos EUA, diz site

“Na verdade, a estratégia não era muito aquela. Acho que o Aldo achou que tinha o tempo de entrar a mão ali e acabar a luta. Ele viu o espaço e jogou. Infelizmente, o outro também teve a reação de jogar, e o Aldo foi de encontro ao golpe dele, assim como ele foi de encontro ao golpe do Aldo. Os dois tirando a cabeça para o lado contrário, encontraram o mesmo golpe que o outro jogou. Os dois jogaram cruzados, só que o do cara chegou primeiro. Se o do Aldo chega primeiro, o resultado teria sido outro”, disse Dedé, em entrevista ao site do canal “Combate”.

Dedé ainda explicou sua declaração sobre o possível lance de “sorte” de McGregor. “Ele realmente foi feliz. Digamos que o golpe não foi de sorte, foi um golpe programado, mas o encaixe ter sido no queixo por conta do encontro do alvo ao soco, acho que foi uma sorte dele. A gente treinou, viu várias vezes ele fazer isso. Toda vez que o adversário joga a mão direita, ele joga o golpe por cima. (…) Um golpe daquele entrar a 13s de luta, daquele jeito, é uma vez na vida e nunca mais. Não estou dizendo que o golpe não possa entrar, um cruzado daquele no queixo. Pode entrar, mas igual, numa situação de pouquíssimo tempo, esse golpe entrar de encontro e acabar a luta, é uma vez na vida e outra na morte. Não o golpe em si, o cruzado no queixo, mas em início de luta, o cara cruzar e o outro cruzar junto, o dele pegar antes e o cara cair, nunca mais vai acontecer”, assegurou.

Por fim, o técnico ainda citou um possível excesso de confiança por parte do ex-campeão brasileiro como causa do revés. “Não digo ansiedade, talvez um excesso de confiança, porque ele estava muito bem. Ele estava tão confiante na vitória, que (pensou), “Vou jogar e vai pegar”. A decisão ali é de milésimos de segundo. Ou você ataca, ou você sai. Ele decidiu atacar, e o outro jogou de encontro até para poder se defender. Foi um golpe de ataque, numa de parar o movimento de ataque nele. Como é que você diz para um cara supercampeão como o Aldo que ele tomou uma decisão errada?” concluiu.

Aos 29 anos, José Aldo tem um cartel profissional de 25 vitórias e duas derrotas no MMA. O ex-campeão dos penas perdeu seu cinturão e uma invencibilidade de mais de dez anos para Conor McGregor no UFC 194.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments