GSP revela que política com a Reebok é empecilho para seu retorno

Canadense acredita que, caso decida retornar às lutas, terá de fazer um novo contrato com o Ultimate

GSP (foto) ainda não sabe se voltará a lutar. Foto: Josh Hedges/UFC

GSP (foto) ainda não sabe se voltará a lutar. Foto: Josh Hedges/UFC

Na semana passada, o ex-campeão Georges St. Pierre revelou que vinha conversando com o UFC a respeito de seu retorno às lutas, mas não deu detalhes sobre o andamento das negociações. Desta vez, o canadense abriu o jogo e revelou qual é o grande obstáculo: a política de patrocínio do UFC com a Reebok.

Veja Também

Georges St. Pierre admite negociações para voltar ao UFC: ‘Estamos conversando’
Belfort critica política de patrocínios do UFC, mas garante que não abandonará o evento
UFC multa Dos Anjos e Cowboy por violação de contrato com a Reebok

Desde julho do ano passado, todos os lutadores sob contrato com o Ultimate são obrigados a usar uniformes da Reebok na semana de lutas, o que inclui tanto os combates em si quanto em coletivas de imprensa. Por isso, muitos atletas relataram sofrer perdas financeiras com o negócio, já que não é mais permitido o uso de patrocínios pessoais.

Como seu contrato com o UFC é anterior à essa política, GSP afirmou que está negociando este termo. “Muitas coisas mudaram em meu contrato. Precisamos, talvez, renegociar um novo. Eu não tenho mais a permissão para usar os meus patrocinadores, e assim eu perco dinheiro. Depende de como as conversas serão com o UFC. Vamos ver o que vai acontecer”, comentou o ex-campeão, em entrevista ao podcast “The MMA Hour”.

St. Pierre foi, por um longo tempo, campeão dos meio-médios do UFC. Seu combate mais recente foi em novembro de 2013, quando, ainda como detentor do título, bateu Johny Hendricks em uma apertada decisão dos juízes.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments