Ex-desafiante relata corte de peso brutal antes de luta pelo título

Valerie Létourneau, que desafiou Jerdzejczyk no ano passado, contou que corte de peso ‘estava a matando’

Létourneau conta que sofreu para bater o peso no UFC 193. Foto: Divulgação/UFC

Létourneau conta que sofreu para bater o peso no UFC 193. Foto: Divulgação/UFC

Nos últimos meses, as comissões atléticas dos Estados Unidos vêm tomando medidas para evitar o corte de peso brutal dos lutadores de MMA antes de seus combates. E a ex-desafiante pelo cinturão peso palha do UFC Valerie Létourneau deu um relato que justifica os novos procedimentos adotados.

A canadense, que desafiou a campeã Joanna Jedrzejczyk em novembro do ano passado, relatou que sofreu absurdamente para alcançar os 52,1 kg necessários para validar a luta pelo título. Ela afirmou que precisou perder em cima da hora uma enorme quantidade de água, o que trouxe sérios problemas à sua performance no dia seguinte (ela acabou derrotada na decisão dos juízes).

Veja Também

Lutador de 21 anos morre durante corte de peso em evento de MMA na Ásia
ONE FC proíbe corte de peso após morte de lutador
Comissão da Califórnia proíbe desidratação antes das pesagens
UFC 199 terá inovação com pesagem 30 horas antes do evento

“Até agora, o peso mais baixo que eu já bati na véspera da minha luta foi 57,6 kg, o que significa que tenho que cortar 5,5 kg de água. Isso é muito para um corpo de 57 kg. É só água que você tira do corpo. Depois de você cortar 5 kg de água, é difícil beber água. Só de beber água já dói tudo por dentro. Você fica tão sugado da desidratação… Eu perdi músculo, minha gordura corporal estava baixíssima. Eu não conseguiria baixar mais: só se arrancasse um braço ou uma perna. Eu quero treinar duro e tudo mais, mas o corte de peso estava me matando”, contou a lutadora, em entrevista ao site da emissora norte-americana “FOX Sports”.

Apesar da dificuldade, Létourneau afirmou que prefere arriscar sua saúde e lutar nos palhas do que enfrentar dificuldades contra lutadoras maiores na categoria de cima (onde lutou em suas primeiras aparições no UFC). “Eu não seria muito competitiva com 61 kg, porque sou pequena demais para a categoria. Eu perco massa muscular batendo 52 kg, mas eu não seria top 5 nos 61. Eu prefiro descer para 52 e não me apresentar 100%, porque eu sei que mesmo assim me apresentaria melhor do que com 61 kg”, comentou.

Em virtude de alguns problemas enfrentados por atletas antes de pesagens, incluindo a morte de um lutador no ONE FC, as comissões atléticas norte-americanas adotaram duas medidas importantes: primeiro, proibiu a reposição de líquidos através de hidratação com soro intravenoso; depois, a Comissão da Califórnia estabeleceu que a pesagem acontecesse 30 horas antes do evento para permitir aos lutadores maior tempo de reidratação.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments