Brasileiras vencem nas lutas de abertura do UFC 203

Bethe Correia levou a melhor sobre Jessica Eye, e Jéssica Bate-Estaca finalizou Joanne Calderwood ainda no primeiro round

Bethe (foto) voltou a vencer no UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

Bethe (foto) voltou a vencer no UFC. Foto: Josh Hedges/UFC

Veja Também

Miocic é favorito nas apostas para manter cinturão no UFC 203
Werdum quer ‘vitória espetacular’ para voltar a disputar o cinturão
Browne: ‘Não sou fã do Werdum. Ele brinca demais’

As representantes brasileiras fizeram bonito nas primeiras lutas do UFC 203, evento realizado na noite deste sábado (10), em Cleveland, nos Estados Unidos. Bethe Correia superou a lutadora da casa Jessica Eye e voltou a vencer no octógono, enquanto que Jéssica Bate-Estaca passou por cima de Joanne Calderwood e ficou mais próxima da sonhada luta pelo cinturão.

Bethe, que não vencia no octógono desde 2014, travou um duelo equilibrado, porém pouco atrativo tecnicamente contra Eye. No fim, para a tristeza da torcida presente no ginásio, a brasileira levou a melhor na decisão dividida dos juízes.

Bate-Estaca, por sua vez, mostrou mais uma vez que veio para ficar na categoria dos palhas. A paranaense não deu chances a Calderwood e finalizou o combate ainda no primeiro assalto.

Outro representante do Brasil no card preliminar, Caio Monstro não teve o mesmo desempenho e acabou derrotado por Brad Tavares. Já Francimar Bodão, que enfrentaria CB Dollaway, viu o combate ser cancelado em cima da hora após uma lesão de seu rival.

Monstro perde para Tavares e acumula novo revés

C. Magalhães (foto) perdeu no UFC 203. Foto: Josh Hedges/UFC

C. Magalhães (foto) perdeu no UFC 203. Foto: Josh Hedges/UFC

Primeiro brasileiro a subir no octógono do UFC 203, Caio Monstro não conseguiu impor seu jogo diante de Brad Tavares e sofreu sua segunda derrota consecutiva na organização.

Caio, especialista em jiu-jitsu, parecia ter uma estratégia bem definida: fintar na trocação contra o havaiano e levar a luta ao solo assim que possível. O plano deu parcialmente certo no primeiro round, quando o brasileiro usou o clinche como ferramenta para evitar que Tavares aplicasse seu kickboxing.

Do segundo assalto em diante, Tavares encontrou a distância e, com o brasileiro gradativamente se cansando, começou a se encontrar. No round final, o norte-americano acertou os melhores golpes e mostrou ter feito o suficiente para vencer na decisão.

Como resultado, Tavares espanta temporariamente a má fase, já que havia perdido três de suas últimas quatro lutas até então. Monstro, por sua vez, vinha de derrota para Josh Samman; antes disso, ele havia conquistado quatro triunfos consecutivos.

Bethe supera Eye e volta a vencer no UFC

Mesmo em território inimigo, Bethe Correia levou a melhor diante da atleta local Jessica Eye na decisão dos juízes e se recuperou de uma fase de resultados ruins dentro do UFC.

O duelo se desenrolou de forma integral na trocação. A norte-americana conseguiu encontrar bem o seu jogo no primeiro assalto, com bons golpes que abriram cortes no rosto da brasileira. Contudo, a partir do segundo round, Bethe passou a encontrar sua distância e incomodar a rival com as mãos.

No trecho final da luta, Bethe conseguiu mesclar bons jabs com o uso do clinch para, assim, evitar as ameaças da norte-americana. No fim, vitória da brasileira na decisão dividida.

Bethe não vencia desde agosto de 2014, quando bateu Shayna Baszler. Depois disso, ela caiu para Ronda Rousey em luta pelo cinturão e para Raquel Pennington; já Jessica se afunda no UFC: foi a sua quinta derrota em sete lutas no octógono.

‘Bate-Estaca’ atropela Calderwood e fica em alta

Bate-Estaca (foto) vem em alta no peso palha. Foto: Jeff Bottari/UFC

Bate-Estaca (foto) vem em alta no peso palha. Foto: Jeff Bottari/UFC

A paranaense Jéssica Bate-Estaca mostrou mais uma vez que veio para ficar na divisão palha feminina do UFC. A lutadora não deu chances a Joanne Calderwood e venceu com uma bela finalização ainda no primeiro round.

Ao perceber a grande envergadura da escocesa, Jéssica imediatamente levou a luta ao solo. Ali, trabalhou com golpes no rosto e no corpo da rival, além de dar grande giro ao passar a guarda por diversas vezes.

Perto do fim do round, Calderwood tentou levantar no desespero. A brasileira, então, aproveitou a brecha para encaixar uma guilhotina certeira, que fez com que a adversária batesse em desistência pouco depois.

Foi a segunda vitória seguida de Jéssica desde que desceu para o peso palha. Antes, ela havia batido a ex-desafiante pelo cinturão da categoria Jessica Penne de forma dominante.

Resultados do UFC 203:

CARD PRINCIPAL

Stipe Miocic nocauteou Alistair Overeem com socos aos 4min27s do R1

Fabrício Werdum derrotou Travis Browne na decisão unânime dos juízes (29 a 28, 29 a 27, 30 a 27)

Mickey Gall finalizou CM Punk com um mata-leão aos 2min14s do R1

Jimmie Rivera derrotou Urijah Faber na decisão unânime dos juízes (triplo 30 a 27)

Jéssica Bate-Estaca finalizou Joanne Calderwood com uma guilhotina aos 4min38s do R1

CARD PRELIMINAR

Bethe Correia derrotou Jessica Eye na decisão dividida dos juízes (29 a 28, 28 a 29 e 29 a 28)

Brad Tavares derrotou Caio Monstro na decisão dividida dos juízes (28 a 29, 30 a 27, 29 a 28)

Nik Lentz derrotou Michael McBride por nocaute técnico (socos) a 4min17s do R2

Drew Dober nocauteou Jason Gonzalez com socos ao 1min45s do R1

Yancy Medeiros finalizou Sean Spencer com um mata-leão aos 49s do R2

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments